Bem-vindo, CITRUS 7
TOTAL TRANSFERIDO BRL 1500,00 ECONOMIZADO BRL 44,00

30/06/2020 – Panorama de mercado semanal

30 de junho , 2020 | em #MeuCâmbio |

Análise Meu Câmbio

Acompanhe semanalmente a evolução do preço do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação que precisa para escolher a melhor hora de realizar suas operações cambiais.

Cenário interno

Economia

  • Em meio às incertezas sobre os impactos da pandemia de coronavírus no país e no mundo, o mercado brasileiro mantêm a expectativa em relação a uma contração do PIB (Produto Interno Bruto) em 2020, segundo os dados do Relatório Focus divulgado dia 26/06 pelo Bacen. Seguem principais dados das medianas de mercado para 2020:
    • PIB: Queda de 6,54%
    • IPCA: 1,63%
    • Câmbio: R$/US$ 5,20
    • Selic: 2,00%
  • Em sessão remota nesta quarta-feira (24), o Senado aprovou o novo marco legal do saneamento básico (PL 4.162/2019). O projeto é de iniciativa do governo, foi aprovado em dezembro do ano passado na Câmara dos Deputados e agora segue para a sanção presidencial. A matéria baseia-se na Medida Provisória (MP) 868/2018, que perdeu a validade sem ter sua apreciação completada no Congresso Nacional em 2019. Assim, o governo enviou ao Legislativo um projeto com o mesmo tema. O texto prorroga o prazo para o fim dos lixões, facilita a privatização de estatais do setor e extingue o modelo atual de contrato entre municípios e empresas estaduais de água e esgoto. Pelas regras em vigor, as companhias precisam obedecer a critérios de prestação e tarifação, mas podem atuar sem concorrência. O novo marco transforma os contratos em vigor em concessões com a empresa privada que vier a assumir a estatal. O texto também torna obrigatória a abertura de licitação, envolvendo empresas públicas e privadas. (Fonte: Agência Senado)
  • O Conselho Monetário Nacional (CMN) fixou a meta de inflação em 3,25% a ser perseguida pelo Banco Central em 2023. Em reunião na última quinta-feira, 25, o conselho também definiu uma margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para o cumprimento da meta. Na prática, isso quer dizer que a inflação de 2023 deverá ficar entre 1,75% e 4,75%, aponta a Agência Estado. (Fonte: Trade Map)
  • O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15, considerado a prévia da inflação oficial, registrou alta de 0,02% em junho, após cair 0,59% em maio. Apesar da alta, esse é o menor resultado para o mês de junho desde 2006, quando a taxa apontou deflação de 0,15%. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (25) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). (Fonte: Radio Agência Nacional)
  • O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou hoje (25) que “de forma alguma” a meta de inflação está sendo abandonada. Campos Neto apresentou o Relatório de Inflação em entrevista coletiva virtual. “A mensagem, de forma alguma, é que a meta está sendo abandonada ou que o Banco Central está passando a olhar a meta de uma forma diferente”, disse. Campos Neto acrescentou que o BC tem instrumentos e que ainda há espaço para a política monetária por meio da taxa básica de juros, a Selic. “Temos instrumentos e olhamos esses instrumentos em ordem de prioridade. Acreditamos que a política monetária ainda tem espaço”, disse. (Fonte: IstoÉ Dinheiro)
  • O Brasil e o México assinaram acordo para o livre comércio de caminhões e ônibus e suas autopeças. Conforme entendimento das duas maiores economias latino-americanas, haverá liberação gradual de tarifas até 2023.Inicialmente, a partir de 1º de julho de 2020 ocorrerá redução tarifária de 20%. Em 1º de julho 2021, a margem sobe para 40%; na mesma data, no ano seguinte, para 70%; e, finalmente, em 1º de julho de 2023, Brasil e México estabelecem a liberalização total. Os dois países já usufruem de livre comércio para automóveis, veículos comerciais leves e suas autopeças. O acordo foi assinado em 2002. (Fonte: Agência Brasil – EBC)
  • O Banco Central piorou sua projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 a uma retração de 6,4%, ante crescimento zero calculado em março, refletindo o impacto profundo da crise com o coronavírus na atividade, conforme Relatório Trimestral de Inflação publicado nesta quinta-feira. No documento, o BC também repetiu que, para a taxa básica de juros, um eventual corte à frente será “residual” e que essa decisão dependerá de uma avaliação dos impactos da pandemia, das medidas adotadas até aqui para incentivar crédito e apoiar a renda e da diminuição das incertezas quanto à trajetória das contas públicas. A expectativa para o PIB é mais pessimista que a da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, que ainda prevê um recuo de 4,7% para a atividade neste ano. (Fonte: UOL)
  • A inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usada para reajustes em contratos de aluguéis, ficou em 1,56% em junho, percentual superior ao apurado em maio, quando havia apresentado taxa de 0,28%, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). (Fonte: Valor Investe)
  • Mesmo com empresas e famílias ainda em busca de recursos para fechar as contas enquanto sofrem os efeitos da crise da pandemia do coronavírus, as concessões de empréstimos dos bancos no crédito livre voltaram a cair em maio. De acordo com dados do Banco Central, o volume ofertado no mercado – descontado o crédito direcionado com recursos da poupança e do BNDES – teve uma retração de 3,6% no mês passado, ficando em R$ 255,8 bilhões. Em abril, no auge das medidas de distanciamento social impostas por diversos governos estaduais e municipais, a queda nas concessões de novos empréstimos no crédito livre já havia sido de 28,3%. O segmento industrial puxou o número de maio para baixo, com retração de 9,4%, enquanto o volume de crédito liberado para as famílias cresceu 3,3% em relação a abril. (Fonte: Estadão)
  • Em meio às críticas de que o socorro do governo não chegou às empresas de menor porte durante a pandemia, o Banco Central anunciou um segundo pacote de medidas para estimular o acesso ao crédito. As ações têm potencial de injetar R$ 272 bilhões na área de crédito, mas a cifra pode ser ainda maior, já que o impacto da compra de títulos privados pelo BC no mercado secundário não foi estimado. As medidas anunciadas, em um total de seis, representam um esforço do BC para direcionar recursos, em especial, para micro, pequenas e médias empresas durante a pandemia do novo coronavírus. Em março, a autarquia já havia lançado um pacote de R$ 1,2 trilhão para manter a oferta de recursos no sistema financeiro. Além de evitar problemas de liquidez entre os bancos, o BC tinha como objetivo permitir que os bancos emprestassem recursos para famílias e empresas na ponta final.
    • A primeira delas permite que o capital requerido pelo BC de cooperativas de crédito e instituições financeiras menores, passe por redução temporária. Na prática, sobrará mais dinheiro para que as cooperativas possam emprestar a seus clientes. O potencial da medida é de R$ 16,5 bilhões.
    • Outra medida permite que parte da parcela dos depósitos da poupança que os bancos precisariam recolher obrigatoriamente no BC – o chamado compulsório da poupança – possa ser usado em operações de financiamento de capital de giro. Este dinheiro estará disponível nos bancos para empresas que faturam até R$ 50 milhões por ano. Para incentivar os empréstimos pelos bancos, o BC estabeleceu uma penalidade: parte do compulsório não será remunerada se a instituição financeira não atingir determinados parâmetros de empréstimos. A medida tem potencial de R$ 55,8 bilhões.
    • Imóveis. Para tentar aumentar o fluxo de recursos para as famílias durante a pandemia de covid-19, o governo vai abrir um novo canal de crédito para as pessoas que já têm financiamentos imobiliários em andamento. O BC irá autorizar os bancos a refinanciarem os valores já quitados nessas operações, disponibilizando até R$ 60 bilhões em recursos novos no mercado. Apesar de a autoridade monetária ter anunciado a medida, em meio a um novo pacote de ações para destravar o crédito no País, a nova modalidade de empréstimo só poderá ser oferecida após a edição de uma Medida Provisória pelo presidente Jair Bolsonaro. A MP é esperada ainda para esta semana. Com a mudança, um mesmo imóvel poderá ser usado como garantia em mais de uma operação. Na prática, a medida possibilita resgatar as parcelas já pagas de um imóvel para usar como crédito para ter alívio financeiro durante a atual crise.
    • Compra de ativos. Além dessas medidas, o BC apresentou as regras para que possa começar a comprar ativos de empresas no mercado secundário. Esta é uma das ferramentas aprovadas recentemente pelo Congresso, por meio da Emenda Constitucional do “Orçamento de Guerra”. Assim, debêntures emitidas por empresas em geral e que foram adquiridas por bancos, por exemplo, poderão ser revendidas ao BC (mercado secundário). Com isso, a autarquia espera manter a liquidez destes títulos e o correto funcionamento do sistema. (Fonte: Estadão)
  • O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse ontem que o novo sistema de pagamentos instantâneos (PIX) que deve entrar em vigor em novembro vai permitir serviços de saques em redes varejistas, como alternativa ao sistema bancário. “As regras e os primeiros detalhamentos desse produto serão apresentados na próxima reunião do Fórum de Pagamentos Instantâneos, em agosto”, disse ele. Ainda segundo Campos Neto, a possibilidade de saques em redes varejistas busca trazer “mais eficiência, por meio da reutilização do dinheiro no varejo e do aproveitamento dessa rede, acompanhando a evolução tecnológica e atendendo às necessidades da indústria e dos cidadãos”. (Fonte: Estadão)

Emprego:

  • O Brasil fechou 331.901 postos de trabalho com carteira assinada em maio, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados em 29/06 pelo Ministério da Economia. Foi o pior desempenho para o mês desde o início da série histórica, em 2010. Em relação a abril (-902.841 vagas), o número melhorou. Com o resultado de maio, o corte de vagas acumulado em 2020 soma 1.144.875, o pior desempenho para o período também desde 2010. Os números também representam um mergulho muito mais profundo que o registrado nos dois anos em que houve crise econômica. Considerando o mesmo período, foram fechadas 243.948 vagas em 2015 e 448.101 em 2016. No ano passado, foram criadas 351.062 vagas com carteira assinada no país. Em maio, quatro dos cinco grupos de atividades econômicas mostraram desempenho negativo, com destaque para serviços. Somente o grupo de agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura contratou no mês. (Fonte: UOL)
  • O governo federal recebeu 351.315 pedidos de seguro-desemprego na primeira quinzena de junho. Apesar de o número representar um aumento significativo em relação ao mesmo período do ano passado (35%), indica uma desaceleração na comparação com a última quinzena de maio, quando foram registrados 455.911 pedidos (queda de 22,9%). Em 2020, as solicitações do benefício cresceram 14,2% até 15 de junho, ante o mesmo período de 2019, e somam 3,648 milhões. Com a necessidade de isolamento social imposta pela pandemia, 52,2% dos requerimentos foram feitos pela internet neste ano, sendo 71,4% na primeira quinzena deste mês. (Fonte: Estadão)

Contas Externas:

As contas externas do Brasil registraram superávit de US$ 1,326 bilhão em maio deste ano. As informações foram divulgadas pelo Banco Central nesta quarta-feira (24). Foi o terceiro mês seguido de saldo positivo e o melhor resultado para meses de maio desde 2017 (+US$ 2,471 bilhões), ou seja, em três anos. O resultado de transações correntes, um dos principais sobre o setor externo do país, é formado pela balança comercial (comércio de produtos entre o Brasil e outros países), pelos serviços (adquiridos por brasileiros no exterior) e pelas rendas (remessas de juros, lucros e dividendos do Brasil para o exterior). Segundo o chefe do Departamento de Estatísticas da instituição, Fernando Rocha, três meses seguidos de superávit nas contas externas não aconteciam desde o início de 2007. Ele informou ainda que a previsão é de novo saldo positivo em junho. O superávit das contas externas de maio é fruto do saldo positivo da balança comercial brasileira, que registrou superávit (exportações menos importações) de US$ 4,2 bilhões. O resultado foi impulsionado pelas vendas externas de produtos básicos, como alimentos e petróleo, tendo os países asiáticos como principais destinos. Além disso, houve um déficit menor nas contas de serviços e renda por conta do desaquecimento da economia mundial e do fechamento de fronteiras – este último fator contribuiu para o menor gasto de brasileiros no exterior em 16 anos. Nos cinco primeiros meses deste ano, ainda segundo dados do BC, a conta de transações correntes apresentou um déficit de US$ 11,334 bilhões – com queda de 38,2% frente ao mesmo período do ano passado, quando o rombo nas contas externas somou US$ 18,339 bilhões. Em todo ano passado, o déficit das contas externas do Brasil subiu 22%, para US$ 50,762 bilhões. Para todo ano de 2020, a expectativa do Banco Central é de um déficit menor das contas externas, de US$ 41 bilhões, por conta da pandemia do novo coronavírus. O Banco Central também informou que os investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira somaram US$ 2,552 bilhões em maio. Com isso, houve melhora frente ao mês de abril, quando foi registrado o ingresso de apenas US$ 234 milhões. Entretanto, foi o pior resultado para maio desde 2018, quando houve entrada de US$ 2,004 bilhões. Nos cinco primeiros meses deste ano, ainda de acordo com o Banco Central, os investimentos diretos somaram US$ 20,595 bilhões, uma queda de 35% frente ao mesmo período de 2019 (US$ 31,659 bilhões). Mesmo assim, os investimentos estrangeiros foram suficientes para cobrir o rombo das contas externas no acumulado deste ano (US$ 11,334 bilhões). Em todo ano passado, os investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira somaram US$ 78,559 bilhões, com pequena alta frente ao ano anterior. Para 2020, o Banco Central estima um ingresso de US$ 60 bilhões em investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira. (Fonte: G1)

  • O Banco Central melhorou nesta quinta-feira sua estimativa para o déficit em transações correntes a 13,9 bilhões de dólares em 2020, contra rombo de 41 bilhões de dólares projetado em março, ao mesmo tempo em que reduziu a perspectiva para os Investimentos Diretos no País (IDP) a 55 bilhões de dólares, sobre 60 bilhões antes. Em seu Relatório Trimestral de Inflação, o BC explicou que foram determinantes para essa revisão os efeitos econômicos da Covid-19, que contribuíram para a desaceleração do comércio global, bem como para redução na projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) doméstico para 2020 e para deterioração do ambiente de investimento internacional. A melhora para o rombo em transações correntes vem principalmente pela projeção de menor déficit na conta de renda primária. Dentro dessa rubrica, o BC agora vê remessas de lucros e dividendos de 13,2 bilhões de dólares neste ano, ante 25 bilhões de dólares antes. Na conta de serviços, a estimativa para as despesas líquidas de viagens internacionais caiu a 4 bilhões de dólares, contra 7 bilhões de dólares no relatório anterior. (Fonte: UOL)

No cenário externo:

  • O partido do presidente Emmanuel Macron sofreu neste domingo (28) uma derrota contundente nas eleições municipais francesas, marcadas pela abstenção recorde e pelo avanço dos ecologistas, que conquistaram as prefeituras de várias das principais cidades do país. Em Paris, a joia da coroa deste pleito, a socialista nascida na Espanha Anne Hidalgo renovou seu mandato com mais de 50% dos votos, à frente de sua principal adversária, a ex-ministra da Justiça Rachida Dati, candidata do partido conservador, que obteve 32%, segundo as primeiras estimativas. Os Verdes, que avançam com força no tabuleiro político francês há algumas eleições, venceram em várias das principais cidades francesas, como Lyon (centro-leste), Bordeaux (centro-oeste) e Marselha (sudeste), impulsionados pela crescente tomada de consciência dos franceses sobre as problemáticas ambientais. (Fonte: IstoÉ Dinheiro)
  • Enquanto a Alemanha se prepara para assumir a presidência rotativa da União Europeia em 1º de julho, para um mandato de seis meses, a chanceler alemã Angela Merkel disse neste sábado (27) que Londres terá que “assumir as consequências” de uma relação econômica “mais fraca” com o bloco depois do Brexit. As negociações para um acordo sobre relações bilaterais futuras ainda estão em andamento. A chanceler alemã endureceu o tom sobre o Brexit. O governo britânico, liderado pelo primeiro-ministro Boris Johnson, diz que deseja definir a postura a ser adotada após a retirada do país da União Europeia (UE). Mas “ele, é claro, terá que arcar com as consequências, ou seja, lidar com uma economia menos estreitamente conectada [ao bloco]”, advertiu a chanceler alemã em uma coletiva a jornais da Europa, incluindo o francês Le Monde. (Fonte: G1)
  • O diretor do departamento do hemisfério ocidental do Fundo Monetário Internacional (FMI), Alejandro Werner, afirmou nesta sexta-feira, 26, que a América Latina se transformou no novo epicentro mundial da pandemia do coronavírus, que vai contribuir para a região ter sua pior recessão da história, com contração do Produto Interno Bruto (PIB) estimada de 9,4% este ano. “Os riscos permanecem elevados”, disse ele em texto divulgado no blog da instituição.  Na última quarta-feira, 24, o Fundo divulgou novas projeções para a atividade econômica, diante da evolução da pandemia. A estimativa é que o PIB do Brasil tenha recuo de 9,1% em 2020, em um quadro de “alta incerteza”, com crescimento de 3,6% em 2021. Para a economia global, a projeção é de queda de 4,9%, maior que a retração prevista anteriormente, de 3%. (Fonte: Estadão)
  • O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos apresentou uma queda anualizada de 5% no primeiro trimestre deste ano na comparação com os três meses imediatamente anteriores. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 25, pelo Departamento do Comércio. O resultado veio em linha com a segunda leitura do PIB do país, divulgada no final de maio, e de acordo com as projeções da Bloomberg. (Fonte: Trade Map)
  • O Produto Interno Bruto (PIB) da Argentina registrou queda de 5,4% no primeiro trimestre, na comparação com igual período do ano passado. Além disso, o PIB caiu 4,8% em relação ao quarto trimestre de 2019, na série sem ajustes sazonais, informou nesta terça-feira, 23, o Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec). (Fonte: Seu Dinheiro)
  • O candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, mantém 14 pontos porcentuais de vantagem sobre o presidente Donald Trump, que disputa a reeleição, segundo a pesquisa do New York Times/Siena College . Biden tem 50% das intenções de voto ante 36% de Trump. A diferença é considerada importante em um país dividido entre dois partidos. As más notícias eleitorais têm feito Trump apostar cada vez mais na retórica incendiária e divisória, em meio à crise econômica, de saúde e agitação social que os EUA vivem e à reprovação crescente às suas políticas. (Fonte: Estadão)

Dólar e aversão ao risco

(índice de volatilidade dos preços das opções do S&P 500)

O VIX trabalhou na última semana na média de 32,79. A volatilidade ainda continua muito alta, mas com valores abaixo do pico de 16/03 onde trabalhou na faixa de 82,60.

Perspectivas

A previsão do dólar para 2020

As expectativas dos 99 economistas consultados pelo Banco Central são:

  • Valor mínimo esperado: subiu de R$ 4,55 para R$ 4,80
  • Valor médio esperado: subiu de R$ 5,17 para R$ 5,22
  • Valor máximo esperado: subiu de R$ 5,96 para R$ 6,00

Previsão para PIB

As expectativas dos 72 economistas consultados pelo Banco Central são:

Previsão para IPCA

As expectativas dos 113 economistas consultados pelo Banco Central são:

Dólar americano hoje:

Ao 13:30hs, o dólar comercial operava em alta de 1,04% cotado a 5,4827

O Dólar Turismo neste mesmo horário é oferecido pela Meu Câmbio a R$ 5,688 + IOF.

Dólar / Real
PeríodoVariaçãoTaxa
30/jun/201,04%5,4827
Na semana6,43%5,1517
No mês2,69%5,3389
No ano36,66%4,0118

Euro hoje:

As 13:30hs, o euro operava em alta de 1,07%, cotado a R$ 6,1610.

O Euro Turismo neste mesmo horário é oferecido pela Meu Câmbio a R$ 6,404 + IOF.

Euro / Real
PeríodoVariaçãoTaxa
30/jun/201,07%6,1610
Na semana5,80%5,8230
No mês4,02%5,9230
No ano37,09%4,4940

Próximos eventos internacionais relevantes

DataHorárioMoedaEventoPrevisão AtualÚltima Previsão
TueJun 303:45amEURFrench Consumer Spending m/m30.0%-20.2%
  EURFrench Prelim CPI m/m0.4%0.1%
 6:00amEURCPI Flash Estimate y/y-0.1%0.1%
  EURCore CPI Flash Estimate y/y0.8%0.9%
  EURItalian Prelim CPI m/m0.1%-0.2%
 TentativeEURItalian 10-y Bond Auction 1.42|1.3
 10:00amUSDS&P/CS Composite-20 HPI y/y3.8%3.9%
 10:45amUSDChicago PMI42.032.3
 11:00amUSDCB Consumer Confidence90.186.6
 12:00pmUSDFOMC Member Williams Speaks  
 12:05pmUSDFOMC Member Brainard Speaks  
 1:30pmUSDFed Chair Powell Testifies  
 3:00pmUSDFOMC Member Kashkari Speaks  
 10:45pmCNYCaixin Manufacturing PMI50.750.7
WedJul 13:00amEURGerman Retail Sales m/m3.5%-5.3%
 4:15amEURSpanish Manufacturing PMI45.238.3
 4:45amEURItalian Manufacturing PMI47.945.4
 4:50amEURFrench Final Manufacturing PMI52.152.1
 4:55amEURGerman Final Manufacturing PMI44.644.6
  EURGerman Unemployment Change80K238K
 5:00amEURFinal Manufacturing PMI46.946.9
 8:30amUSDChallenger Job Cuts y/y 577.8%
 9:15amUSDADP Non-Farm Employment Change3000K-2760K
 10:45amUSDFinal Manufacturing PMI49.649.6
 11:00amUSDISM Manufacturing PMI49.043.1
  USDConstruction Spending m/m1.0%-2.9%
  USDISM Manufacturing Prices45.240.8
 All DayUSDWards Total Vehicle Sales13.0M8.7M
 11:30amUSDCrude Oil Inventories 1.4M
 3:00pmUSDFOMC Meeting Minutes  
ThuJul 24:00amEURSpanish Unemployment Change 26.6K
 5:00amEURItalian Monthly Unemployment Rate7.9%6.3%
 6:00amEURPPI m/m-0.4%-2.0%
  EURUnemployment Rate7.6%7.3%
 TentativeEURSpanish 10-y Bond Auction 0.53|3.9
 TentativeEURFrench 10-y Bond Auction 0.02|2.4
 9:30amUSDAverage Hourly Earnings m/m-0.5%-1.0%
  USDNon-Farm Employment Change3000K2509K
  USDUnemployment Rate12.5%13.3%
  USDUnemployment Claims1350B1480K
  USDTrade Balance-52.5B-49.4B
 11:00amUSDFactory Orders m/m8.0%-13.0%
 11:30amUSDNatural Gas Storage 120B
 10:45pmCNYCaixin Services PMI53.855.0
FriJul 33:45amEURFrench Gov Budget Balance -92.1B
 4:15amEURSpanish Services PMI46.027.9
 4:45amEURItalian Services PMI46.628.9
 4:50amEURFrench Final Services PMI50.350.3
 4:55amEURGerman Final Manufacturing PMI45.845.8
 5:00amEURFinal Services PMI47.347.3

RELACIONADOS


28/07/2020 – Panorama de mercado semanal

Análise Meu Câmbio Acompanhe semanalmente a evolução do preço do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação qu […] LEIA MAIS


21/07/2020 – Panorama de mercado semanal

Análise Meu Câmbio Acompanhe semanalmente a evolução do preço do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação qu […] LEIA MAIS

Recentes


28/07/2020 – Panorama de mercado semanal

Análise Meu Câmbio Acompanhe semanalmente a evolução do preço do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação qu […] LEIA MAIS


21/07/2020 – Panorama de mercado semanal

Análise Meu Câmbio Acompanhe semanalmente a evolução do preço do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação qu […] LEIA MAIS