Bem-vindo, CITRUS 7
TOTAL TRANSFERIDO BRL 1500,00 ECONOMIZADO BRL 44,00

Análise Econômica Semanal Meu Câmbio – 11/05/2021

11 de maio , 2021 | em #MeuCâmbio |

Acompanhe semanalmente a evolução do preço do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Tenha acesso a toda a informação relevante para realizar sua operação de câmbio.

Economia

Cenário interno

Boletim Focus para 2021:

  • PIB: 3,21%
  • IPCA: 5,15%
  • Câmbio: R$/US$ 5,35
  • Selic: 5,50%
Boletim Focus - Previsão da cotação do dólar e dos principais indicadores de acordo com pesquisa do BCB de 07-05-2021 - Blog Meu Câmbio
Boletim do Banco Central do Brasil com a expectativa do dólar e dos principais indicadores econômicos.
  • O ministro da Economia, Paulo Guedes, classificou como bastante moderada a proposta do governo de reforma administrativa, em audiência pública, hoje (11), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, para debater o tema. Cabe ao colegiado determinar se o texto fere ou não os princípios constitucionais.

“Calibramos e moderamos bastante, exatamente conversando com parlamentares, trocando ideias, recebendo críticas. Temos um grande desafio de transformação do Estado brasileiro”, afirmou.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20, encaminhada ao Congresso em setembro do ano passado, estabelece cinco novos tipos de vínculos para os novos servidores.

Pela proposta, apenas as carreiras típicas de Estado terão a garantia de estabilidade no cargo após um período de experiência, mas também vai permitir ingresso por seleção simplificada para alguns vínculos, inclusive com a previsão de contrato por prazo determinado.

O texto mantém a previsão de realização de concursos para cargos permanentes fora das carreiras típicas de Estado, mas diz que haverá uma segunda etapa de “vínculo de experiência”, e que a investidura acontecerá para os mais bem avaliados ao final do período, dentro do quantitativo previsto no edital do concurso público. (Agência Brasil)

  • O Comitê de Política Monetária (Copom) afirmou que elevar a taxa de juros Selic até um patamar considerado neutro vai levar a inflação a ficar “consideravelmente” abaixo da meta. A informação consta da última ata da reunião do comitê divulgada hoje (11). Na ocasião, o Copom decidiu elevar a taxa básica de juros para 3,5% ao ano.

De acordo com a ata, a alta chamada pelo Copom de “normalização parcial” dos juros reflete as opiniões do comitê sobre a política monetária adequada para a convergência da inflação para a meta no horizonte relevante.

Esta foi a segunda vez no ano, que o comitê elevou a taxa em 0,75 ponto percentual. Com isso, a Selic está em 3,5% ao ano. Em março, o Copom elevou a Selic de 2 pontos percentuais para 2,75% ao ano, após quase seis anos sem elevação.

Copom decidiu elevar a taxa de juros em meio a um cenário de aumento da inflação de alimentos, combustíveis e energia. Segundo o Copom, com exceção do petróleo, os preços internacionais das commodities continuaram em elevação, com impacto sobre as projeções de preços de alimentos e bens industriais.

Além disso, o aumento na bandeira tarifária de energia elétrica deve manter a inflação pressionada no curto prazo. Para o comitê, o diagnóstico é de que os choques atuais são temporários. (Agência Brasil)

  • As transações por cartões (crédito e débito) registraram um aumento de 17,3% nos valores movimentados no primeiro trimestre deste ano em comparação com 2020. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), os pagamentos totalizaram R$ 558,3 bilhões nos primeiros três meses do ano.

Os cartões de crédito responderam por R$ 335,9 bilhões desse volume, registrando um crescimento de 12,8% no período. Os cartões de débito foram responsáveis por uma movimentação de R$ 204,4 bilhões, uma alta de 19,7% no primeiro trimestre na comparação com o mesmo período do ano passado. Enquanto os cartões pré-pagos tiveram a maior expansão percentual (150,3%) e foram o meio usado para fazer R$ 18 bilhões em pagamentos. (Agência Brasil)

  • Hoje o IBGE divulgou a inflação oficial de abril, que mostrou alta de 0,31% – levando o acumulado em 12 meses a 6,76% – estourando pelo segundo mês seguido o teto da meta estabelecida pelo BC para este ano, de 5,25%.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central avaliou nesta terça-feira que, a despeito da intensidade da segunda onda da pandemia ter sido maior que a esperada, o segundo semestre do ano deve mostrar uma “retomada robusta da atividade, na medida em que os efeitos da vacinação sejam sentidos de forma mais abrangente”.

A informação consta na ata de sua última reunião, realizada na semana passada, quando a taxa básica de juros da economia avançou de 2,75% para 3,5% ao ano por conta das pressões inflacionárias.

A expectativa do mercado é de que uma nova alta de 0,75 ponto percentual na Selic deva ocorrer em junho.

A Selic em alta aumenta a diferença entre os retornos oferecidos no Brasil ante os dos Estados Unidos e de outros mercados emergentes, o que eleva a atratividade do real, potencialmente valorizando a moeda.

Na cena externa, os olhos do mercado estão voltados para a leitura do índice de preços ao consumidor norte-americano referente a abril, que será divulgado na quarta-feira.

  • Na avaliação de analistas, um número moderadamente mais alto não deve mexer com os planos do banco central dos Estados Unidos (Fed) de manter os juros perto de zero e seguir comprando títulos, o que tende a manter o dólar sob pressão. (G1)
  • Novo ciclo de commodities sustenta a alta da bolsa – Ibovespa acumula alta de 1,33% em 2021, mas registraria queda de 15,43% se fossem excluídas as empresas que produzem metais, proteína, papel e celulose. (Valor)
  • MP pede ao STF investigação sobre ‘orçamento paralelo’ – Instrumento utilizado para distribuir recursos foi criado no Orçamento de 2020 para formalizar acordos políticos do Congresso. Procurador pediu ao TCU para investigar liberação de R$ 3 bilhões em emendas parlamentares. (O Globo)
  • Hamas lança foguetes e Israel responde com ataques aéreos – Diante do aumento da violência, Muro das Lamentações é esvaziado e marcha nacional pelo Dia de Jerusalém é cancelada; EUA evitam declaração conjunta do Conselho de Segurança da ONU sobre Jerusalém. (Estadão)
  • Rivalidade entre EUA e China faz o Estado crescer – Países começam a estudar a dependência um do outro para que a produção e a segurança da oferta interna sejam as palavras de ordem em Washington e Pequim. (Valor)
  • Crise causada pela Covid desorganiza a economia – Estudo do Ibre/FGV mostra que setor de serviços respondeu por quase metade da queda de 4,1% no PIB em 2020, perdendo R$ 144,9 bi; agora, enquanto agronegócio, indústria extrativa e tecnologia crescem, segmento volta a sofrer com segunda onda. (Estadão)
  • Alta de commodities ajuda, mas retomada exige vacina – Cenário de bonança promovido pelo impulso externo pode ampliar de perto de 40% em 2020 para cerca de 45% neste ano a participação das cadeias de commodities no PIB. (Valor)

LEIA TAMBÉM:

Tudo sobre a DUE – Documento único de exportação

Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior 2021 – Quem deve declarar?

Censo de Capitais Estrangeiros no Brasil 2021 – Conheça as obrigações!

Cenário externo

  • O presidente da distrital de Nova York do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), John Williams, ressaltará, em evento nesta tarde, a importância da transição da taxa Libor, de acordo com discurso preparado divulgado há pouco. Segundo o dirigente, mais de uma referência poderá ser usada para substituir a antiga, que será descontinuada no final deste ano.

Wiliams destacará a necessidade de coordenação global para garantir o solidez do processo e a estabilidade do sistema financeiro. Na visão dele, a taxa SOFR já se provou como uma candidata forte à substituição da Libor, por ter se mostrado resilitante durante o choque da covid-19.

“Mesmo reconhecendo todos os avanços alcançados, é importante lembrar a todos que ainda há muito a ser feito para sair da LIBOR até o final do ano”, pontuará durante o seminário, que contará com a participação também do presidente do Banco da Inglaterra, Andrew Bailey. (Estadão)

  • Cresce tensão entre Poderes na América Latina – Na Argentina, governo acusou Corte Suprema de “golpe institucional” após decisão que derrubou decreto presidencial sobre restrições na pandemia; tensão entre poderes é elevada no Brasil, El Salvador, México e Peru. (O Globo)
  • China ataca ‘politização’ do vírus e pede cooperação entre países – Questionado sobre declaração do presidente Jair Bolsonaro, porta-voz defendeu cooperação contra pandemia, sem citar diretamente o brasileiro. (O Globo)
  • Com Biden, EUA vão apoiar suspensão de patentes de vacinas – Os Estados Unidos, sede de grandes farmacêuticas, historicamente se opõem à discussão sobre quebra de patentes. (Estadão)

Dólar e aversão ao risco

(índice de volatilidade dos preços das opções do S&P 500)

VIX Index - Indice VIX de volatilidade - medida de aversão a risco - Meu Câmbio - 10-05-2021
Gráfico do Índice de volatilidade do S&P 500 (VIX).

O VIX trabalhou nessa semana na média de 18,40 contra 17,74 da semana anterior.

Perspectivas

A previsão do dólar para 2021

As expectativas dos 97 economistas consultados pelo Banco Central são:

  • Valor mínimo esperado: R$ 5,20
  • Valor médio esperado: R$ 5,43
  • Valor máximo esperado: R$ 5,75
Expectativa de cotação do dólar para 2021 segundo relatório focus do BCB em 07-05-2021
Expectativa do dólar comercial para 2021 para Mai-21, Jun-21 e Jul-21 segundo Boletim Focus BCB.

Previsão para PIB

As expectativas dos 74 economistas consultados pelo Banco Central são:

Expectativa do PIB para 2021 segundo relatório focus do BCB em 07-05-2021
Expectativa do PIB para 2021 para Mai-21, Jun-21 e Jul-21 segundo Boletim Focus BCB.

Previsão para IPCA

As expectativas dos 124 economistas consultados pelo Banco Central são:

Expectativa do IPCA para 2021 segundo relatório focus do BCB em 07-05-2021
Expectativa do IPCA para 2021 para Mai-21, Jun-21 e Jul-21 segundo Boletim Focus BCB.

Saiba tudo sobre o câmbio de importação?

MERCADO HOJE

Dólar americano:

No fechamento de 11/05, o dólar comercial operava em queda de 0,18% cotado a 5,2227

O Dólar Turismo neste mesmo horário era oferecido pela Meu Câmbio a R$ 5,4750 + IOF.

Dólar-hoje-turismo-meucambio-11-05-2021
Gráfico do dólar comercial dos últimos 30 dias.
Dólar / Real
PeríodoVariaçãoTaxa
11/mai/21-0,18%5,2227
Na semana-3,83%5,4307
No mês-3,85%5,4320
No ano0,66%5,1887

Euro:

No fechamento de 11/05, o euro operava em queda de 0,11%, cotado a R$ 6,3450.

O Euro Turismo neste mesmo horário era oferecido pela Meu Câmbio a R$ 6,6440 + IOF.

Euro-hoje-turismo-meucambio-11-05-2021
Gráfico do euro comercial dos últimos 30 dias.
Euro / Real
PeríodoVariaçãoTaxa
11/mai/21-0,11%6,3450
Na semana-2,76%6,5250
No mês-2,85%6,5310
No ano-0,50%6,3770

Utilize gratuitamente nossa plataforma para controle dos contratos de câmbio de importação, exportação ou financeiros. Clique aqui e confira!

Agenda da Semana

DataHorárioMoedaEventoPrevisão AtualÚltima Previsão
TueMay 1111:30amGBPBOE Gov Bailey Speaks  
WedMay 12 3:00amGBPPrelim GDP q/q-1.6%1.3%
 6:00amEUREU Economic Forecasts  
  GBPBOE Gov Bailey Speaks  
 9:30amUSDCPI m/m0.2%0.6%
  USDCore CPI m/m0.3%0.3%
 11:30amUSDCrude Oil Inventories-2.1M-8.0M
 2:01pmUSD10-y Bond Auction 1.68|2.4
ThuMay 139:30amUSDUnemployment Claims487K498K
 1:00pmGBPBOE Gov Bailey Speaks  
 2:01pmUSD30-y Bond Auction 2.32|2.5
FriMay 149:30amUSDCore Retail Sales m/m0.5%8.4%
  USDRetail Sales m/m1.0%9.8%
 10:15amUSDIndustrial Production m/m0.9%1.4%
 11:00amUSDPrelim UoM Consumer Sentiment90.288.3
MonMay 17n/a    
TueMay 18n/a    

RELACIONADOS


#CaféComCâmbio – 06/07/22

As principais notícias que afetam o dólar comercial nesta quarta-feira 06/07/2022 MERCADO AGORA (10h34) Dólar comercial: R$ 5,4071 +0,36% Euro comercial: R$ 5,5170 -0,25% Lib […] LEIA MAIS


#CaféComCâmbio – 05/07/22

As principais notícias que afetam o dólar comercial nesta terça-feira 05/07/2022 MERCADO AGORA (10h11) Dólar comercial: R$ 5,3820 +1,08% Euro comercial: R$ 5,5370 -0,25% Lib […] LEIA MAIS

Recentes


#CaféComCâmbio – 06/07/22

As principais notícias que afetam o dólar comercial nesta quarta-feira 06/07/2022 MERCADO AGORA (10h34) Dólar comercial: R$ 5,4071 +0,36% Euro comercial: R$ 5,5170 -0,25% Lib […] LEIA MAIS


#CaféComCâmbio – 05/07/22

As principais notícias que afetam o dólar comercial nesta terça-feira 05/07/2022 MERCADO AGORA (10h11) Dólar comercial: R$ 5,3820 +1,08% Euro comercial: R$ 5,5370 -0,25% Lib […] LEIA MAIS