Bem-vindo, CITRUS 7
TOTAL TRANSFERIDO BRL 1500,00 ECONOMIZADO BRL 44,00

Análise Econômica Semanal Meu Câmbio – 16/02/2022

16 de fevereiro , 2022 | em #MeuCâmbio |

Acompanhe semanalmente a evolução do preço do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Tenha acesso a toda a informação relevante para realizar sua operação de câmbio.

Economia

Cenário interno

Boletim Focus para 2021:

  • IPCA: 5,50% (+)
  • PIB: 0,30% (=)
  • Câmbio: R$/US$ 5,58 (-)
  • Selic: 12,25% (=)

Boletim Focus - Previsão da cotação do dólar e dos principais indicadores de acordo com pesquisa do BCB de 11-02-2022 - Blog Meu Câmbio
Boletim do Banco Central do Brasil com a expectativa do dólar e dos principais indicadores econômicos.

Taxa de juros, inflação e PIB no Brasil

A pesquisa Focus divulgada pelo BC nesta segunda-feira mostrou que os economistas consultados passaram a calcular a Selic agora a 12,25% no fim de 2022, contra taxa de 11,75% prevista na semana anterior. Para 2023 segue estimativa de Selic a 8,0%.

O BC elevou a Selic em 1,5 ponto percentual pela terceira vez consecutiva no início do mês, a 10,75% ao ano, indicando uma redução no ritmo de ajuste na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), em março.
Na semana passada, a ata do encontro mostrou preocupação da autoridade monetária com a adoção de políticas fiscais que buscam controlar a inflação no curto prazo, em documento interpretado por parte do mercado como duro, embora não tenha avançado em informações sobre o percentual de aperto monetário que será adotado na próxima reunião do colegiado.

O Focus apontou ainda que a expectativa para a alta do IPCA este ano aumentou em 0,06 ponto percentual, indo a 5,5%, enquanto, para o ano que vem, segue em 3,5%.

O centro da meta oficial para a inflação em 2022 é de 3,5% e para 2023 é de 3,25%, sempre com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

A inflação ao consumidor no Brasil iniciou 2022 em desaceleração, mas com a maior taxa para o mês de janeiro em seis anos, de 0,54%, indo a 10,38% no acumulado em 12 meses.

Para o Produto Interno Bruto (PIB), a estimativa de crescimento seguiu em 0,3% para 2022, mas caiu a 1,5% em 2023, de 1,53% antes.

(Fonte: Exame)

Câmbio

A expectativa do mercado para a cotação do dólar em 2022 caiu em relação ao projetado na semana passada: R$ 5,58. Já para o próximo ano, o mercado estima que a moeda deve ficar em R$ 5,45. Já para 2024, após um período de estabilidade, a moeda norte-americana deve passar dos R$ 5,39, estimados na semana passada, para R$ 5,32.

Mercado Brasileiro

O Ibovespa futuro opera em baixa no início das negociações do pré-mercado desta segunda-feira (14), acompanhando as principais bolsas internacionais. O contrato com vencimento em fevereiro recua, às 9h20 (horário de Brasília), 0,36%, aos 113.350 pontos. O dia é marcado por aversão ao risco, com o aumento das tensões entre a Rússia e a Ucrânia.

No Brasil, investidores repercutem ainda o Boletim Focus publicado nesta segunda. O Banco Central trouxe que o mercado agora vê a taxa Selic em 12,25% no final do ano, ante 11,75% na última semana. As projeções para o IPCA também avançaram, saindo de 5,44% para 5,50%.

O mercado ainda monitora a escalada da pressão sobre o Ministério da Economia, envolvendo, entre outras coisas, a PEC dos combustíveis. O presidente Jair Bolsonaro, durante o final de semana, afirmou que trabalha em conjunto com a Petrobras (PETR3;PETR4) para reduzir os preços dos combustíveis.

A curva de juros sobe em bloco. Na ponta curta, o rendimento do juros DI para janeiro de 2023 sobe três pontos-base, para 12,46%. No meio da curva, as taxas do DI vencendo em janeiro de 2025 avança quatro pontos, para 11,41%. Na ponta longa, os DIs com vencimento em janeiro de 2027 e em janeiro de 2029 sobem, respectivamente, dois e quatro pontos, para 11,33% e 11,50%.

O dólar futuro tem alta de 0,15%, a R$ 5,280. O dólar comercial sobe 0,43%, a R$ 5,265 na compra e na venda.

(Fonte: InfoMoney)

No mercado local, alguns pontos merecem destaques:

  • Medidas do governo para conter preço da gasolina podem ter efeito oposto – Apesar de contrários às medidas sugeridas pelo governo, economistas concordam que o preço do petróleo ameaça a inflação e a atividade em um ano em que a economia já enfrenta desafios. Do lado da inflação, a desvalorização do dólar (que começou o ano valendo R$ 5,57 e fechou a semana em R$ 5,24) ameniza a alta do petróleo. Mas a expectativa é de que, com a proximidade das eleições, esse efeito seja anulado – e a inflação suba ainda mais. (InfoMoney)
  • Bolsonaro reafirma visita à Rússia, apesar da escalada de tensões na Ucrânia – “Fui convidado pelo presidente Putin. O Brasil depende de fertilizantes da Rússia e da Bielorrússia. Levaremos um grupo de ministros também para tratarmos de outros assuntos que interessam ao nosso país, energia, defesa e agricultura”, afirmou neste sábado o presidente. (CNN Brasil)
  • Está liberada novamente a consulta a dinheiro “esquecido” pelos brasileiros nos bancos, depois da interrupção do serviço em janeiro, quando o volume de acessos derrubou o site do Banco Central. O serviço foi restabelecido em uma página específica. Mas, no primeiro acesso, o cliente pode consultar apenas se há ou não recursos disponíveis. Por ora, basta informar o CPF ou CNPJ. (G1)

LEIA TAMBÉM:

Tudo sobre a DUE – Documento único de exportação

Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior 2021 – Quem deve declarar?

Censo de Capitais Estrangeiros no Brasil 2021 – Conheça as obrigações!

Cenário externo

Nos Estados Unidos, os futuros voltam a cair, após a já forte baixa da sexta-feira, quando a possibilidade de guerra escalou. O futuro do Dow Jones, por volta das 9h10, recua 0,69%, o do S&P 500, 0,79% e o da Nasdaq, 1,03%.

Na Europa, as quedas são ainda mais acentuadas, uma vez que no último pregão da semana passada as principais bolsas do continente já haviam fechado na hora da circulação das notícias mais preocupantes. O DAX, da Alemanha, recua 3,25%, o CAC 40, da França, 3,55%, e o FTSE, de Londres, 1,95%. O STOXX 600, de todo o continente, cai 2,56%. O IMOEX, principal índice da Rússia, tem baixa de 3,34%.

Entre as novas notícias sobre o leste europeu, investidores repercutem o rumor de que a Rússia não pretende participar de uma reunião com a Ucrânia e outros países bálticos. A iniciativa do encontro partiu do ministro do Exterior ucraniano Dmytro Kuleba na noite desse domingo.

Nesta segunda, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro viaja à Rússia para se encontrar com Vladimir Putin, mesmo com diversos conselhos para cancelar a ida. Além dele, o presidente alemão Olaf Scholz também tem viagem marcada para o país, bem como para a Ucrânia, na tentativa de evitar a guerra.

“As tensões geradas pela ação militar da Rússia na fronteira ucraniana estão entrando em uma semana potencialmente decisiva. Jake Sullivan, conselheiro de segurança nacional dos Estados Unidos, disse no domingo que um ataque da Rússia contra a Ucrânia pode começar ‘a qualquer momento’”, comenta a XP Investimentos, eu seu morning call. “Com isso, a volatilidade nos mercados tende a aumentar novamente e os preços do petróleo avançam rapidamente”.

Além da maior aversão ao risco, pesa sobre os índices, justamente, o avanço do preço do petróleo – o barril WTI é negociado pela manhã a US$ 92,95 e o Brent a US$ 94,18, nas máximas em sete anos, ainda que com leve queda nesta manhã.

A alta da commodity deve pressionar ainda mais os índices de inflação e, com isso, também as curvas de juros mundo afora. Na Europa, a tensão com a Rússia fez o preço do gás natural subir mais de 5% – o país de Putin é o maior fornecedor desta commodity para a região.

Por fim, pesa também sobre o futuro do índice brasileiro o forte recuo do preço do minério de ferro. No porto chinês de Dalian, a tonelada da commodity registrou queda de 6,8%, a 776.500 iuanes, ou US$ 122,11. A segunda maior economia do mundo vem sinalizando que pretende controlar os preços da commodity, barrando a “especulação”.

(Fonte: InfoMoney)

No mercado internacional, outros pontos que merecem destaques:

  • Mercados globais são dominados por sentimento de aversão ao risco, motivados por possível invasão russa à Ucrânia. Além disso, o mercado também espera maiores sinalizações de política monetária, com hoje sendo destaque o discurso de Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (BCE). Nesta semana também ocorre a divulgação da ata da reunião de janeiro do Federal Reserve (FED), além do PIB da Zona do euro e o índice de preços ao consumidor dos Estados Unidos (PPI). (Trading View)
  • G7 pode aplicar sanções com “impacto enorme” contra Rússia. Crise na Europa oriental piorou após o fim de semana, quando os EUA voltaram a reiterar que os russos farão um ataque a qualquer momento. “A nossa prioridade imediata é apoiar os esforços para uma desaceleração da situação. Qualquer outra agressão à Ucrânia será recebida com uma ação coordenada e vigorosa. Estamos preparados para impor coletivamente sanções econômicas e financeiras com consequências enormes e imediatas contra a economia russa”, diz a nota oficial. (InfoMoney)
  • Os índices futuros dos EUA recuam na manhã de segunda-feira, com os investidores continuando a monitorar as tensões em desenvolvimento entre a Ucrânia e a Rússia e os possíveis aumentos das taxas de juros pelo Fed. Os movimentos seguem uma semana difícil para as ações, que foram pressionadas por um relatório de inflação mais alto do que o esperado e temores de um ataque russo à Ucrânia. (InfoMoney)
  • Os preços do petróleo atingiram nesta segunda-feira seu maior nível em mais de sete anos por temores de que uma possível invasão da Ucrânia pela Rússia possa desencadear sanções dos EUA e da Europa que interromperiam as exportações do maior produtor mundial em um mercado já apertado, mas agora operam em leve queda. (InfoMoney)

Dólar e aversão ao risco

(índice de volatilidade dos preços das opções do S&P 500)

O VIX trabalhou nessa semana na média de 23,11 contra 23,29 da semana anterior.

VIX Index - Indice VIX de volatilidade - medida de aversão a risco - Meu Câmbio - 14-02-2022
Gráfico do Índice de volatilidade do S&P 500 (VIX).

Perspectivas

A previsão do dólar para fim de janeiro 2022

As expectativas dos 112 economistas consultados pelo Banco Central são:

  • Valor mínimo esperado: R$ 5,00 (-)
  • Valor médio esperado: R$ 5,41 (-)
  • Valor máximo esperado: R$ 5,70 (-)
Expectativa de cotação do dólar para 2022 segundo relatório focus do BCB em 11-02-2022
Expectativa do dólar comercial para Fev-22, Mar-22 e Abr-22 segundo Boletim Focus BCB.

Previsão para PIB

As expectativas dos 100 economistas consultados pelo Banco Central são:

Expectativa do PIB para 2022, 2023 e 2024 segundo relatório focus do BCB em 11-02-2022
Expectativa do PIB para 2022, 2023 e 2024 segundo Boletim Focus BCB.

Previsão para IPCA

As expectativas dos 142 economistas consultados pelo Banco Central com atualizações nos últimos 5 dias são:

Expectativa do IPCA para 2022, 2023 e 2024 segundo relatório focus do BCB em 11-02-2022
Expectativa do IPCA para 2022, 2023 e 2024 segundo Boletim Focus BCB.

Saiba tudo sobre o câmbio de importação?

MERCADO

Dólar americano:

No fechamento de 14/02, o dólar comercial operava em baixa de 0,37% cotado a 5,2229.

Dólar / Real
PeríodoVariaçãoTaxa
14/fev/22-0,37%5,2229
Uma semana-1,48%5,3014
No mês-6,33%5,5759
No ano-6,33%5,5759
12 meses-1,65%5,3106

Euro comercial:

No fechamento de 14/02, o euro operava em baixa de 0,61%, cotado a R$ 5,9050.

Euro / Real
PeríodoVariaçãoTaxa
14/fev/22-0,61%5,9050
Uma semana-2,53%6,0580
No mês-6,48%6,3140
No ano-6,48%6,3140
12 meses-8,53%6,4560

Utilize gratuitamente nossa plataforma para controle dos contratos de câmbio de importação, exportação ou financeiros. Clique aqui e confira!

Agenda da Semana

DataHorárioMoedaEventoPrevisão AtualÚltima Previsão
MonFeb 14 11:00amUSDFOMC Member Bullard Speaks  
 11:15amEURECB President Lagarde Speaks  
TueFeb 155:00amEURZEW Economic Sentiment54.449.4
  EURGerman ZEW Economic Sentiment55.151.7
 8:30amUSDPPI m/m0.5%0.2%
  USDCore PPI m/m0.4%0.5%
  USDEmpire State Manufacturing Index11.9-0.7
WedFeb 162:00amGBPCPI y/y5.4%5.4%
 8:30amUSDCore Retail Sales m/m1.0%-2.3%
  USDRetail Sales m/m1.8%-1.9%
 9:15amUSDIndustrial Production m/m0.4%-0.1%
 10:30amUSDCrude Oil Inventories -4.8M
 2:00pmUSDFOMC Meeting Minutes  
ThuFeb 178:30amUSDPhilly Fed Manufacturing Index19.923.2
  USDUnemployment Claims219K223K
 Day 1AllG20 Meetings  
 11:00amUSDFOMC Member Bullard Speaks  
 5:00pmUSDFOMC Member Mester Speaks  
FriFeb 182:00amGBPRetail Sales m/m1.2%-3.7%
 10:00amUSDExisting Home Sales6.10M6.18M
 Day 2AllG20 Meetings  
 10:45amUSDFOMC Member Waller Speaks  
 1:30pmUSDFOMC Member Brainard Speaks  

RELACIONADOS


#CaféComCâmbio – 01/07/22

As principais notícias que afetam o dólar comercial nesta sexta-feira 01/07/2022 MERCADO AGORA (09h36) Dólar comercial: R$ 5,2959 +1,17% Euro comercial: R$ 5,5190 +0,63% Libr […] LEIA MAIS


#CaféComCâmbio – 30/06/22

As principais notícias que afetam o dólar comercial nesta quarta-feira 30/06/2022 MERCADO AGORA (10h05) Dólar comercial: R$ 5,2525 +1,15% Euro comercial: R$ 5,4660 +0,79% Lib […] LEIA MAIS

Recentes


#CaféComCâmbio – 01/07/22

As principais notícias que afetam o dólar comercial nesta sexta-feira 01/07/2022 MERCADO AGORA (09h36) Dólar comercial: R$ 5,2959 +1,17% Euro comercial: R$ 5,5190 +0,63% Libr […] LEIA MAIS


#CaféComCâmbio – 30/06/22

As principais notícias que afetam o dólar comercial nesta quarta-feira 30/06/2022 MERCADO AGORA (10h05) Dólar comercial: R$ 5,2525 +1,15% Euro comercial: R$ 5,4660 +0,79% Lib […] LEIA MAIS