Bem-vindo, CITRUS 7
TOTAL TRANSFERIDO BRL 1500,00 ECONOMIZADO BRL 44,00

Panorama de Mercado

19 de março , 2019 | em #MeuCâmbio |

Análise Meu Câmbio – Acompanhe semanalmente a evolução do preço do dólar, euro e saiba tudo o que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação que precisa para escolher a melhor hora de realizar suas operações cambiais.

Cenário interno

  • A Petrobrás projeta o pagamento de R$ 150 bilhões até 2023 em royalties e tributos, relativos à extração de óleo e gás feita exclusivamente nas áreas do pré-sal. O valor equivale ao que foi desembolsado no ano passado pelo conjunto de todas as áreas da empresa, em diferentes bacias, incluindo participações especiais.
  • Azul propõe pagar R$ 404 mi pela Avianca. Com proposta, Azul ficará com 30 aeronaves (operadas atualmente pela Avianca) e ganhará mais 70 ‘slots’ (autorizações de pousos e decolagens); com o negócio, empresa ficará bem mais próxima das tradicionais líderes do setor
  • Produção de carro registra melhor 1º bimestre em 5 anos. Mais de 455 mil unidades saíram em janeiro e fevereiro das fábricas do Brasil; volume só não foi maior por causa da queda de 42% na exportação
  • Ford não vai investir ‘nem mais um centavo’ no ABC. Após encontro na sede da montadora, nos EUA, sindicalistas descartam reversão de decisão de fechamento da unidade até o fim de 2019. A direção mundial da Ford confirmou aos trabalhadores de São Bernardo do Campo que não voltará atrás na decisão de fechar a fábrica este ano.
  • Por Previdência, Guedes adia PEC do Orçamento. Estratégia da equipe econômica de apresentar proposta de desvinculação de gastos já em abril, para tramitar simultaneamente à Previdência, foi considerada arriscada por líderes do Congresso; receio era de que discussão prejudicasse a reforma
  • Corrupção com caixa 2 fica na Justiça Eleitoral. Por 6 votos a 5, ministros da Corte rejeitam separar o julgamento de crimes comuns conexos com eleitorais; procuradores veem ‘duro golpe’ para Operação Lava Jato.
  • Investimento em infraestrutura deve ficar estagnado. Aportes devem somar R$ 129,9 bi este ano, ante R$ 127,5 bi registrado em 2018, aponta estudo; incerteza na economia atrapalha recuperação.
  • Varejo registra alta de 0,4% em janeiro, informa IBGE. Analistas receberam resultado com alívio, mas representantes do setor esperavam desempenho melhor.
  • A Procuradoria da República do Distrito Federal denunciou o empresário Joesley Batista, os ex-ministros Guido Mantega e Antônio Palocci e o ex-presidente do BNDES Luciano Coutinho por irregularidades em aportes de R$ 8,1 bilhões do banco público na JBS. Além deles, foram denunciadas outras oito pessoas, entre elas, funcionários do BNDES acusados de gestão fraudulenta.
  • Encomendas decepcionam e Embraer tem primeiro prejuízo em 20 anos. Perdas do ano passado somaram R$ 669 milhões, com revisão de custos do projeto do cargueiro militar KC-390 e baixa venda do avião executivo Lineage 1000; sem eventos extraordinários, fabricante teria registrado lucro de R$ 800 milhões em 2018.
  • O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu o acordo firmado entre os procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba e a Petrobrás, que previa a criação de um fundo com R$ 2,5 bilhões recuperados.
  • Com receita menor, governo deve bloquear mais de R$ 10 bi do Orçamento. Queda na arrecadação em janeiro e impossibilidade de contar com os recursos da privatização da Eletrobrás este ano, acenderam sinal de alerta em relação ao cumprimento da meta fiscal, que prevê a possibilidade de um rombo de até R$ 139 bilhões.
  • O primeiro leilão de concessão do governo de Jair Bolsonaro teve forte disputa e terminou com um ágio de quase 986%, com uma arrecadação de R$ 2,38 bilhões aos cofres da União. No total, nove grupos participaram da licitação dos três blocos, com 12 aeroportos, realizada ontem na B3, em São Paulo. A espanhola Aena, a suíça Zurich e as brasileiras Socicam Terminais Rodoviários e Sinart saíram vencedoras, e já disseram ter interesse na nova rodada de concessões que será anunciada pelo governo.
  • Nos EUA, Bolsonaro busca aliança com Trump, conservadores e empresários. Para Washington, momento é propício para uma aproximação com Brasil, em razão de afinidades ideológicas sobre Venezuela, da perspectiva liberal no campo econômico e do entusiasmo de parte do governo brasileiro com o presidente americano.
  • Bolsonaro ataca ‘antigo comunismo’ nos EUA. Ao pousar em Washington, presidente brasileiro diz no Twitter que pela primeira vez em muito tempo um chefe de Estado do Brasil não é antiamericano; presidente foi alvo de protesto de 60 pessoas na Casa Branca.
  • Atingida em cheio durante a crise econômica, a “classe C” abrangia 48% da população em 2008, atingiu pico de 53%, caiu para 50% e, agora, experimenta novo crescimento – 51% dos brasileiros, ou 106 milhões, estavam nessa faixa de renda média, em 2018. Essas famílias ainda não recuperaram o poder de compra, mas estão otimistas com as perspectivas econômicas e pretendem voltar a consumir bens de maior valor.
  • Levy sofre pressão por devolução de R$ 100 bi. Resistência do presidente do BNDES ao plano é criticada por equipe econômica.
  • Múltis trazem R$ 120 bi em crédito para filiais no país. Empréstimos das matrizes quintuplicaram em 2018, em especial para a indústria e para o setor de serviços. Depois de uma queda significativa em 2017, o volume de recursos injetado pelas multinacionais no país, sob a forma de empréstimos para as filiais, deu um salto no ano passado. Em 2018, o capital que veio de fora por meio de operações de crédito, o chamado empréstimo intercompanhia, quintuplicou, de US$ 6,2 bilhões para US$ 32,3 bilhões (R$ 123 bilhões).
  • Residentes no exterior devem prestar atenção ao declarar bens no Brasil. Manter imóveis e investimentos no país é permitido, mas deve ser comunicado aos órgãos responsáveis. Deixar a vida por aqui, mas, ao mesmo tempo, também quitar obrigações com o fisco requer alguns cuidados, apontam analistas.

No cenário externo:

Trump propõe orçamento recorde de US$ 4,7 trilhões. Plano orçamentário da Casa Branca propõe cortes de subsídios à Agricultura e à Saúde e pede US$ 8,6 bilhões para muro com México.

  • O Parlamento britânico rejeitou, em duas votações, a possibilidade de o Reino Unido sair da União Europeia sem acordo, no dia 29. O resultado foi mais uma derrota da premiê, que defendia manter viva a possibilidade de um Brexit sem acordo para obter mais força nas negociações com a Europa.
  • Israel ataca alvos em Gaza em resposta a foguetes lançados contra Tel-Aviv. Hamas, que controla o território palestino, nega responsabilidade pelos disparos; retaliação ordenada pelo premiê israelense ocorre em plena campanha eleitoral, na qual Netanyahu tenta se manter no poder em meio a acusações de corrupção.

Coletes amarelos retomam saques a lojas. Manifestantes incendeiam banco e quebram vitrines de estabelecimentos de luxo. Grupo usou pedras contra polícia, que respondeu com gás lacrimogêneo.

Dólar e aversão ao risco

(índice de volatilidade dos preços das opções do S&P 500)

Na semana que passou, o VIX apresentou queda, negociando abaixo de 13, o que mostra que o investidor americano não espera nenhum forte movimento nos próximos dias. Na última vez, o índice negociou nesses níveis, entre maio e setembro de 2018. O índice S&P acumulou uma sequência de altas, atingindo níveis históricos. Na média, o índice negociou a 13,33 contra 14,34 da semana anterior.

Dólar index

(relação do dólar com uma cesta de moedas)

O dólar segue em patamar estável contra cesta de moeda tendo trabalhado na última semana na média de 96,515.

Perspectivas

A previsão do dólar para 2019

As expectativas dos 97 economistas consultados pelo Banco central para 31/03/2019 são:

  • Valor mínimo esperado: R$ 3,50
  • Valor médio esperado: R$ 3,77
  • Valor máximo esperado: R$ 4,00

Dólar americano hoje:

Às 14 horas, o dólar comercial apresentava queda de 0,49% cotado a 3,7724.

O dólar turismo neste mesmo horário é oferecido pela Meu Câmbio a R$ 3,90 + IOF.

 

Euro hoje:

Às 14 horas, o euro comercial apresentava queda de 0,40%, cotado a R$ 4,282.

O euro turismo neste mesmo horário é oferecido pela Meu Câmbio a R$ 4,46 + IOF.

 


RELACIONADOS


Panorama de Mercado

Análise Meu Câmbio Acompanhe semanalmente a evolução do preço do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação […] LEIA MAIS


Dicas para quem vai viajar sozinho pela primeira vez

Para quem nunca viajou sozinho, é normal que surjam dúvidas na hora de planejar uma viagem. Elaborar um roteiro, reservar hospedagem e passagens com antecedência são etapas essenciais para via […] LEIA MAIS

Recentes


Panorama de Mercado

Análise Meu Câmbio Acompanhe semanalmente a evolução do preço do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação […] LEIA MAIS


Dicas para quem vai viajar sozinho pela primeira vez

Para quem nunca viajou sozinho, é normal que surjam dúvidas na hora de planejar uma viagem. Elaborar um roteiro, reservar hospedagem e passagens com antecedência são etapas essenciais para via […] LEIA MAIS