Bem-vindo, CITRUS 7
TOTAL TRANSFERIDO BRL 1500,00 ECONOMIZADO BRL 44,00

Panorama de Mercado

03 de março , 2020 | em #MeuCâmbio |

Dólar bateu recordes na última semana

Acompanhe semanalmente a evolução do preço do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação que precisa para escolher a melhor ora de realizar suas operações cambiais.

Cenário interno

Economia

  • Uma nova medida do Banco Central que entra em vigor a partir do dia 2 de março deverá ajudar o consumidor que vai viajar ao exterior ou que fizer compras fora do país pela internet.  As despesas feitas com o cartão de crédito no exterior serão convertidas pela cotação do dólar do dia da compra, e não mais pela cotação do dia de pagamento da fatura. A determinação visa dar mais transparências às operações e aumentar a concorrência no mercado, segundo o Banco Central. Com a nova regra, o consumidor poderá controlar melhor suas finanças e se planejar para os pagamentos em compras fora do país, principalmente com a alta do dólar batendo recordes seguidos na última semana. Atualmente a conversão da moeda é feita pela cotação de dias antes do vencimento da fatura. Com a trava no câmbio, será possível saber o valor acumulado no cartão antecipadamente. Para isso, as instituições financeiras serão obrigadas a informar diariamente, por meio de seus canais com o cliente e o público, que cotação será utilizada para a conversão de despesas efetuadas naquela data. A taxa de conversão do dólar deve ficar disponível nos canais remotos de atendimento ao cliente, inclusive por meios eletrônicos, com acesso direto ao público no menu relativo a cartões de uso internacional. (Fonte: R7)
  • O caixa do Governo Central registrou um superávit primário de R$ 44,124 bilhões em janeiro, o melhor desempenho para o mês na série histórica, iniciada em 1997, conforme o Tesouro Nacional. O resultado, que reúne as contas do Tesouro, Previdência Social e Banco Central, sucede o déficit de R$ 14,637 bilhões de dezembro. Em janeiro de 2019, o resultado havia sido positivo em R$ 30,030 bilhões. O resultado de janeiro ficou acima das expectativas do mercado financeiro, cuja mediana apontava um superávit de R$ 38 bilhões, de acordo com levantamento do Projeções Broadcast junto a 19 instituições financeiras. O dado do mês passado ficou dentro do intervalo das estimativas, que eram de superávit de R$ 26,292 bilhões a R$ 47,800 bilhões. (Fonte: Seu Dinheiro)
  • A Dívida Bruta do Governo Geral fechou janeiro aos R$ 5,550 trilhões, o que representa 76,1% do Produto Interno Bruto (PIB). O porcentual, divulgado na sexta-feira, 28, pelo Banco Central, é maior que os 75,9% de dezembro. No melhor momento da série, em dezembro de 2013, a dívida bruta chegou a 51,5% do PIB. A Dívida Bruta do Governo Geral – que abrange o governo federal, os governos estaduais e municipais, excluindo o Banco Central e as empresas estatais – é uma das principais referências para avaliação, por parte das agências globais de rating, da capacidade de solvência do País. (Fonte: Seu Dinheiro)
  • O rendimento domiciliar per capita do Brasil ficou em R$ 1.439 em 2019, conforme levantamento divulgado na sexta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (Pnad Contínua). O valor é 4,8% maior que o rendimento médio nacional registrado em 2018, desconsiderando os efeitos da inflação. (Fonte: G1)
  • A melhora nas projeções para o crescimento econômico não levanta preocupações sobre a capacidade do setor elétrico de absorver investimentos. Para especialistas, a expansão do parque gerador nos últimos anos garante uma folga pelo menos até 2024, e não há qualquer risco de desabastecimento. Após três anos de avanço próximo de 1%, a expectativa de crescimento do PIB em 2020 até vem caindo, mas está em 2,23%, segundo a última pesquisa Focus. Nos quatro anos anteriores, o consumo de energia subiu cerca de 5%, de 64 mil megawatts médios (MWm) em 2015 para 67 mil MWm em 2019. No mesmo período, a capacidade instalada subiu 22%, de 134 gigawatts (GW) para 172 GW. (Fonte: Estadão)
  • O juro do cheque especial desabou em janeiro, após o Banco Central estabelecer limite para a cobrança por parte dos bancos. Dados do BC mostram que a taxa de juros média caiu de 247,6% ao ano em dezembro para 165,6% ao ano em janeiro. O recuo ocorre na esteira das novas regras para o produto, anunciadas no fim de 2019 pelo BC e aprovadas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Desde 6 de janeiro, as instituições financeiras podem cobrar, no máximo, 151,82% ao ano (ou 8% ao mês) de juros no cheque especial. (Fonte: Estadão)
  • Com o surto de coronavírus provocando aversão ao risco no mercado financeiro, devido à incerteza em relação ao impacto da epidemia na economia global, a saída de capital estrangeiro da Bolsa brasileira se acelerou em fevereiro. Até quarta-feira, o investidor externo havia retirado R$ 35 bilhões do mercado acionário este ano. O valor supera o recorde nominal de 2008, de R$ 24,6 bilhões, ano da crise financeira global. O coronavírus intensificou movimento desencadeado pela queda na taxa de juros básica do País. (Fonte: Estadão)

Emprego

  • O mercado de trabalho brasileiro iniciou o ano de 2020 com 11,9 milhões de pessoas à procura de emprego, e 4 em cada 10 trabalhadores já ocupados atuando na informalidade. No entanto, o mês de janeiro manteve os bons resultados obtidos nos meses de novembro e dezembro do ano passado, de acordo com o IBGE. A taxa de desemprego desceu a 11,2% no trimestre fechado em janeiro de 2020, ante 12% no trimestre encerrado no mesmo mês do ano passado, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua). O resultado um pouco mais favorável foi ajudado pela retenção de trabalhadores temporários contratados nos últimos meses do ano passado, além de um salto no número de pessoas que optaram por migrar para a inatividade. Em apenas um trimestre, 873 mil brasileiros a mais nem trabalharam nem buscaram uma vaga, levando a população inativa ao recorde de 65,733 milhões de pessoas. O mercado de trabalho registrou abertura de 504 mil vagas com carteira assinada no setor privado no trimestre encerrado em janeiro. O resultado, porém, ainda está carregando o bom desempenho da geração de vagas formais visto em novembro e dezembro de 2019, segundo o IBGE. Dois terços da taxa de desemprego do trimestre encerrado em janeiro de 2020 são de informações de novembro e dezembro do ano anterior. (Fonte: Estadão)

Empresas

  • As fintechs – startups de serviços financeiros – levantaram menor volume de investimentos no ano passado. Segundo relatório divulgado pela consultoria CB Insights nesta semana, o setor teve aportes de US$ 33,9 bilhões em 2019, em cerca de 1,9 mil rodadas. Na temporada anterior, tinham sido US$ 40,8 bilhões, com 2,05 mil operações. Segundo o relatório, o setor de fintechs teve 24 novos unicórnios no ano passado – o apelido é dado às startups que são avaliadas no mercado em pelo menos US$ 1 bilhão. Duas empresas brasileiras foram citadas na lista: a startup de pagamentos Ebanx, de Curitiba, que foi o primeiro unicórnio do Sul do País, bem como o QuintoAndar, que intermedeia aluguéis residenciais. Segundo o levantamento, o mercado global de fintechs tem 67 unicórnios – a outra brasileira da lista é o Nubank, avaliado em US$ 10 bilhões após ter recebido um aporte de US$ 400 milhões do fundo californiano TCV, em julho do ano passado. Outros nomes conhecidos da lista são a estoniana TransferWise, que faz transferências bancárias internacionais, o banco digital N26, da Alemanha, e a Brex, fundada por dois brasileiros no Vale do Silício e que presta serviços financeiros para outras startups da região. (Fonte: Estadão)

No cenário externo:

  • Um Brexit sem acordo pode fazer com que os britânicos percam até 32 bilhões de dólares (cerca de 30 bilhões em euros) em exportações para a União Europeia, de acordo com um estudo econômico da ONU. Segundo o trabalho da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (CNUCED), essas perdas equivalem a 14% das exportações britânicas para a UE. “As perdas causariam um duro golpe para a economia britânica, já que o mercado da UE representa 45% das exportações”, observa a CNUCED em comunicado. Em um estudo anterior, os economistas da ONU indicaram que as exportações do Reino Unido em 2018 totalizaram 450 bilhões de dólares, quase metade correspondente às que chegam à UE. (Fonte: Istoé Dinheiro)
  • O Reino Unido publicou suas exigências iniciais para negociações comerciais com a União Europeia (UE), ameaçando abandonar o diálogo em junho caso os dois lados não consigam fazer progresso suficiente no sentido de um acordo. Em documento de 36 páginas, o governo britânico admite que o tempo é “limitado”, mas “suficiente” para que um acordo preliminar seja alcançado nos próximos quatro meses. A expectativa do Reino Unido é que o acordo seja finalizado até setembro. (Fonte: UOL)
  • O Ministério da Agricultura da Argentina suspendeu na quarta-feira (26) os registros de exportações agrícolas do país até segunda ordem, anunciou a pasta em comunicado, em medida vista por operadores como um passo que pode anteceder um significativo aumento nas tarifas de exportação de grãos. Em dezembro, o novo governo argentino, do peronista Alberto Fernández, ampliou as taxas para exportação de soja, trigo e milho, com o objetivo de aumentar receitas. O país busca evitar um “default” de sua elevada dívida soberana. Roulet, que estima que o governo possa aumentar as retenções em 3%, afirmou que a arrecadação com impostos apenas sobre a soja poderia crescer em US$ 513 milhões. (Fonte: G1)
  • O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos cresceu à taxa anualizada de 2,1% no quarto trimestre de 2019, de acordo com revisão do indicador, divulgada na quinta-feira pelo Departamento do Comércio e que confirmou estimativa preliminar de um mês atrás. O resultado veio em linha com a previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal. Apenas os gastos com consumo, que representam cerca de 70% do PIB americano, tiveram expansão anualizada de 1,7% entre outubro e dezembro, apresentando forte desaceleração ante os dois trimestres anteriores. O dado foi ligeiramente revisado para baixo em relação à estimativa original, de alta de 1,8%. (Fonte: Seu Dinheiro)
  • O governo da França afirmou no sábado (29) que vai avançar com a reforma da Previdência do presidente Emmanuel Macron no Parlamento por meio de um decreto. Isso evitará a necessidade de uma votação, após a oposição apresentar mais de 40 mil emendas para o projeto de lei. A reforma, que é a maior reformulação do sistema de aposentadorias e pensões da França desde a Segunda Guerra Mundial, motivou semanas de greves no setor público e protestos nas ruas, antes de adversários do texto levarem a batalha ao Parlamento. Os fiéis a Macron, que tem maioria na Assembleia Nacional, chamaram a montanha de emendas de uma jogada cínica para travar a passagem da lei previdenciária pelo Parlamento, segundo destaca a Reuters. (Fonte: G1)
  • Os EUA e o Taleban assinaram um acordo de paz que abre caminho para o fim da ocupação militar do Afeganistão. Firmado em Doha, no Catar, o pacto prevê que os americanos e seus aliados da Otan retirem suas tropas do país em até 14 meses, desde que o Taleban cumpra uma série de compromissos. O acordo foi assinado pelo enviado americano Zalmay Khalilzad e pelo líder do Taleban, Mullah Abdul Ghani Baradar. A cerimônia reuniu os secretários americanos de Estado, Mike Pompeo, e de Defesa, Mike Esper, além de uma delegação de líderes do grupo. Após a assinatura, Pompeo pediu que o grupo rebelde cumpra a promessa de cortar laços com a organização terrorista Al-Qaeda. (Fonte: Estadão)

Dólar e aversão ao risco

(índice de volatilidade dos preços das opções do S&P 500)

Altíssima volatilidade apresentada pelo mercado acionário americano, fez o VIX trabalhar acima dos 30 pontos, chegando na média da última semana de fevereiro em 31,92.

Perspectivas

A previsão do dólar para 2020

As expectativas dos 101 economistas consultados pelo Banco Central são:

  • Valor mínimo esperado: R$ 4,07
  • Valor médio esperado: R$ 4,31
  • Valor máximo esperado: R$ 4,50

Previsão para PIB

As expectativas dos 80 economistas consultados pelo Banco Central são:

Previsão para IPCA

As expectativas dos 122 economistas consultados pelo Banco Central são:

Dólar americano hoje:

As 12:00 horas, o Dólar comercial operava em queda de 0,29%, cotado a 4,49. O Dólar Turismo no mesmo horário é oferecido pela Meu Câmbio a R$ 4,4599 + IOF.

Euro hoje:

As 12:00 horas o Euro operava em queda de 0,36%, cotado a R$0 5,01. O Euro Turismo no mesmo horário é oferecido pela Meu Câmbio a R$ 5,162 + IOF.

Próximos eventos internacionais relevantes


RELACIONADOS


Comece seu dia bem informado com nosso Café Com Câmbio de hoje 22/01

As principais notícias que afetam o dólar comercia […] LEIA MAIS


Comece seu dia bem informado com nosso Café Com Câmbio de hoje 21/01

As principais notícias que afetam o dólar comercia […] LEIA MAIS

Recentes


Comece seu dia bem informado com nosso Café Com Câmbio de hoje 22/01

As principais notícias que afetam o dólar comercia […] LEIA MAIS


Comece seu dia bem informado com nosso Café Com Câmbio de hoje 21/01

As principais notícias que afetam o dólar comercia […] LEIA MAIS