Bem-vindo, CITRUS 7
TOTAL TRANSFERIDO BRL 1500,00 ECONOMIZADO BRL 44,00

Panorama de Mercado

10 de março , 2020 | em #MeuCâmbio |

Banco Central dos EUA anuncia corte de juros como tentativa de amenizar os impactos econômicos causados pelo coronavírus.

Acompanhe semanalmente a evolução do preço do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação que precisa para escolher a melhor ora de realizar suas operações cambiais.

Cenário interno

Economia

  • A Arábia Saudita reduziu em 10% seus preços de exportação de petróleo, uma retaliação à Rússia, que se recusou a participar de um movimento da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para reduzir a produção e segurar os preços, em queda por causa da desaceleração econômica decorrente do novo coronavírus. São esperadas repercussões também na Venezuela, Irã e em empresas americanas. Com a decisão, os preços de negociação internacional despencavam ontem (09/03), com o barril do petróleo tipo Brent recuando 20,6%, a US$ 35,93, na Intercontinental Exchange (ICE), em Londres. Em Nova York (Nymex), o barril do óleo tipo WTI recuava 20,5%, cotado a US$ 32,82. É a maior queda desde 1991, ano da Guerra do Golfo. (Fonte: Estadão)
  • O PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil cresceu 1,1% em 2019, primeiro ano do governo do presidente Jair Bolsonaro, segundo dados divulgados na quarta-feira (4) pelo IBGE. Foi o terceiro ano seguido de fraco crescimento da economia brasileira. Em 2017 e em 2018, a primeira divulgação do PIB mostrou expansão de 1,1%. Posteriormente, os dados foram revisados para 1,3%. Em 2015 e 2016, houve queda no PIB. (Fonte: Zero Hora)
  • Em fevereiro, o saldo entre vendas e compras do exterior foi positivo e a balança comercial brasileira registrou o terceiro maior saldo comercial da história para o mês, de US$ 3,096 bilhões. O resultado de fevereiro foi suficiente para reverter o déficit registrado em janeiro e o primeiro bimestre acumula saldo positivo em US$ 1,361 bilhão. Houve alta de 15,5% nas exportações, com destaque para a venda de petróleo, minério de cobre e ferro. Já as importações subiram 16,7%, principalmente pela compra, no mês passado, de uma plataforma de petróleo de US$ 2,2 bilhões. (Fonte: Terra)
  • A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) subiu 2,2% em 2019 ante 2018. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que anunciou na quarta-feira (4) os resultados das Contas Nacionais Trimestrais. Segundo o instituto, a taxa de investimento (FBCF/PIB) no dado fechado de 2019 ficou em 15,4%. A taxa de poupança no ano de 2019 ficou em 12,2% do PIB, segundo o IBGE. Em 2018, essa taxa havia ficado em 12,4%. Já a taxa de investimento ficou em 15,4% em 2019, segundo o IBGE. Esse nível é maior do que o verificado em 2018, que foi uma taxa de 15,2%. Segundo o IBGE, as exportações diminuíram 2,5% em 2019 ante 2018. As importações contabilizadas no PIB, por sua vez, subiram 1,1% em 2019 ante 2018. A contabilidade das exportações e importações no PIB é diferente da realizada para a elaboração da balança comercial. No PIB, entram bens e serviços, e as variações porcentuais divulgadas dizem respeito ao volume. Já na balança comercial, entram somente bens, e o registro é feito em valores, com grande influência dos preços. (Fonte: Estado de Minas)
  • O governo brasileiro decidiu retirar quatro diplomatas e outros 11 funcionários da embaixada e dos consulados do Brasil na Venezuela. Com isso, ficará sem equipe diplomática no país vizinho. As remoções estão registradas na edição do Diário Oficial da União (DOU) de ontem, mas devem levar algumas semanas para serem concluídas, segundo apurou o Estadão/Broadcast. De acordo com integrantes do Itamaraty, a medida é o desdobramento natural da deterioração das relações entre Brasil e Venezuela. A justificativa é que não faz sentido reconhecer o líder opositor Juan Guaidó como presidente legítimo do país e manter, ainda assim, representantes diplomáticos junto ao regime de Nicolás Maduro. (Fonte: Estadão)
  • O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Carlos Moraes, afirmou ontem que existe o risco de as montadoras paralisarem a produção no fim de março ou em abril por causa dos efeitos econômicos da epidemia do coronavírus, que, no caso do setor automotivo, afeta principalmente a importação de autopeças da China. Apesar do alerta, o executivo buscou passar tranquilidade. Ressaltou que os fornecedores internacionais do setor estão espalhados pelo mundo e não concentrados na China, que representa 13% das importações de autopeças. Afirmou também que ainda não há nenhum problema e que as empresas têm alternativas para driblar possíveis efeitos, como importar produtos por via aérea ou calibrar a velocidade das linhas de produção. (Fonte: Estadão)

No cenário externo:

  • Numa medida sem precedentes, todos os habitantes da Itália têm de ficar em casa e só podem sair por motivos comprovados de saúde ou trabalho. As medidas de emergência para tentar travar a progressão do novo coronavírus passam agora a abranger todo o país. A quarentena imposta ao norte de Itália por causa da epidemia de Covid-19 foi estendida ao resto do país, a partir desta terça-feira, como medida para conter a propagação do surto, anunciou hoje (10) o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte. (Fonte: Agência Brasil)
  • Os preços ao consumidor na zona do euro aumentaram mais lentamente em fevereiro do que em janeiro, como esperado, mostraram dados da agência de estatísticas da União Europeia, uma vez que o surto de coronavírus no mundo pressionou os preços do petróleo. A Eurostat também disse que a taxa de desemprego foi de 7,4% em janeiro como esperado, mesma taxa de dezembro e ante 7,8% em janeiro de 2019 –taxa mais baixa desde maio de 2008. (Fonte: G1)
  • A Argentina planeja aumentar taxas sobre exportações de soja, óleo de soja e farelo de soja para 33%, dos atuais 30%, disse o Ministério da Agricultura na terça-feira (03/03), em movimento do governo para aumentar as receitas antes de uma esperada reestruturação de sua dívida soberana. (Fonte: G1)
  • O Instituto de Finanças Internacionais (IIF, na sigla em inglês) estima que o crescimento da economia global deve desacelerar a 1% em 2020, ritmo mais fraco desde a crisefinanceira de 2008, como efeito do choque causado pelo coronavírus. Em relatório, a instituição também reduziu as previsões para o avanço do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos (de 2% para 1,3%) e da China (de 5,6% para “pouco menos” de 4%). (Fonte: Seu Dinheiro)
  • A Super terça, noite mais decisiva das primárias americanas, serviu para limpar a disputa presidencial democrata, que ficou restrita ao ex-vicepresidente dos EUA Joe Biden, um moderado, contra o senador Bernie Sanders, um “socialista democrata”, como ele se define. Os dois dividiram a maioria das vitórias nas prévias estaduais de ontem e devem disputar entre eles quem será o nome que enfrentará Donald Trump, em novembro. Segundo projeções, até o início da madrugada de hoje Biden havia vencido as prévias em Estados como Carolina do Norte, Virgínia, Minnesota e Tennessee. Já Sanders havia ganhado em Vermont, Utah, Colorado e lutava voto a voto com o ex-presidente no Texas e em Massachusetts.  (Fonte: Estadão)
  • Numa tentativa de amenizar os impactos econômicos provocados pelo surto do coronavírus, o Federal Reserve (Banco Central dos EUA) anunciou ontem (03/03) um inesperado corte de juros, duas semanas antes de sua reunião ordinária. A redução foi de 0,50 ponto porcentual na taxa dos EUA, que caiu para o nível de 1,0% a 1,25%. (Fonte: Estadão)

Dólar e aversão ao risco

(índice de volatilidade dos preços das opções do S&P 500)

Altíssima volatilidade apresentada pelo mercado acionário americano, fez o VIX trabalhar acima dos 60 pontos Máxima de 09/03), chegando na média da última semana de 36,76.

Perspectivas

A previsão do dólar para 2020

As expectativas dos 102 economistas consultados pelo Banco Central são:

  • Valor mínimo esperado: R$ 3,85
  • Valor médio esperado: R$ 4,37
  • Valor máximo esperado: R$ 4,70

Previsão para PIB

As expectativas dos 80 economistas consultados pelo Banco Central são:

Previsão para IPCA

As expectativas dos 115 economistas consultados pelo Banco Central são:

Dólar americano hoje:

As 14:30 horas, o Dólar comercial operava em queda de 1,70%, cotado a 4,644 O Dólar Turismo neste mesmo horário é oferecido pela Meu Câmbio a R$ 4,77 + IOF.

Euro hoje:

As 14:30 horas o Euro operava em queda de 2,85%, cotado a R$ 5,255. O Euro Turismo neste mesmo horário é oferecido pela Meu Câmbio a R$ 5,435 + IOF.

Próximos Eventos Relevantes


RELACIONADOS


02/06/2020 – Panorama de mercado semanal

Acompanhe semanalmente a evolução da cotação do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação que precisa para escol […] LEIA MAIS


19/05/2020 – Panorama de mercado semanal

Acompanhe semanalmente a evolução da cotação do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação que precisa para escol […] LEIA MAIS

Recentes


02/06/2020 – Panorama de mercado semanal

Acompanhe semanalmente a evolução da cotação do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação que precisa para escol […] LEIA MAIS


19/05/2020 – Panorama de mercado semanal

Acompanhe semanalmente a evolução da cotação do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação que precisa para escol […] LEIA MAIS