Bem-vindo, CITRUS 7
TOTAL TRANSFERIDO BRL 1500,00 ECONOMIZADO BRL 44,00

Panorama de mercado semanal – Meu Câmbio

27 de abril , 2020 | em #MeuCâmbio |

Análise Meu Câmbio

Acompanhe semanalmente a evolução do preço do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação que precisa para escolher a melhor ora de realizar suas operações cambiais.

Cenário interno

Economia

  • Em meio às incertezas sobre os impactos da pandemia de coronavírus no país e no mundo, o mercado brasileiro aumentou a expectativa em relação a uma contração do PIB (Produto Interno Bruto) em 2020, segundo os dados do Relatório Focus divulgado dia 27/04 pelo Bacen. Segue principais dados das medianas de mercado para 2020:
    • PIB: Queda de 3,34%
    • IPCA: 2,20%
    • Câmbio: R$/US$ 4,80
    • Selic: 3,00%
  • Após a demissão do ministro Sérgio Moro, o dólar teve um fechamento recorde de R$ 5, 66, apesar das intervenções do Banco Central. A Bolsa caiu 5,45% após quase chegar ao circuit breaker. O pedido de demissão do ministro Sérgio Moro (Justiça), em meio a acusações graves contra o presidente Jair Bolsonaro, abriu nova crise política no governo e azedou de vez o humor do mercado financeiro, que já vinha de uma semana turbulenta e fechou ontem com economistas e analistas discutindo abertamente os cenários para economia com a possibilidade de mais um impeachment de presidente da República. O dólar que já vinha num movimento de alta diária fechou cotado a R$ 5,66, valorização de 2,40%, o nono dia consecutivo de ganhos para a moeda dos EUA. No ano, o dólar acumula alta de 41,12% e o real é a moeda com pior desempenho, considerando os principais mercados, em ranking compilado pela Wagner Investimentos. Enquanto isso, na Bolsa, o Ibovespa ficou perto do “circuit breaker” ao cair 9,5% no momento em que Moro concedia coletiva de imprensa em Brasília (o dispositivo que paralisa o pregão é acionado quando o índice cai 10%). No fim do dia, o Ibovespa se recuperou um pouco, mas terminou com prejuízo de 5,45%, aos 75 mil pontos. No mercado, já se fala em um dólar no patamar de R$ 6, com pouco espaço para um recuo abaixo R$ 5. A Bolsa também deve sofrer bastante com a volatilidade nos próximos dias, embora a visão geral é de que os ativos brasileiros já estão num nível próximo do piso. Tudo isso, no entanto, vai depender do tamanho da recessão brasileira em 2020, que, segundo as previsões, deve ser bem forte. (Fonte: Estadão)
  • O caos político que se instalou no Brasil fez o Banco Central (BC) “queimar” US$ 7 bilhões nos últimos três dias para tentar segurar as cotações do dólar no Brasil. Mas a bateria de leilões de moeda do BC, intensificados desde a última quarta-feira, foram incapazes de acalmar o mercado até agora. A pressão no câmbio reflete as dúvidas dos investidores sobre o futuro político do governo do presidente Jair Bolsonaro, após o pedido de demissão do ministro da Justiça, Sérgio Moro, oficializado nesta sexta. Também pesaram nos últimos dias declarações do presidente do BC, Roberto Campos Neto, em entrevista ao Estadão Live Talks da última segunda-feira. Na ocasião, ele sinalizou novo corte da Selic (a taxa básica de juros), atualmente em 3,75% ao ano. Além disso, surgiu a visão de que o ministro da Economia, Paulo Guedes, perdeu prestígio e pode ser o próximo a deixar o governo. (Fonte: Estadão)
  • As contas externas do Brasil tiveram rombo de US$ 15,242 bilhões no primeiro trimestre do ano, com aumento de 1,32% na comparação com o mesmo período de 2019, informou ontem o Banco Central. Foi o maior déficit para o período desde 2015. De acordo com o BC, a piora no rombo das contas externas na parcial deste ano se deve, unicamente, à piora do saldo da balança comercial. O resultado da balança comercial no primeiro trimestre foi positivo, houve superávit de US$ 3,636 bilhões. Entretanto, esse valor é muito inferior ao verificado no mesmo período de 2019 (US$ 7,557 bilhões). As contas de serviços e rendas, por sua vez, registraram melhora nos três primeiros meses deste ano. O déficit na conta de serviços somou US$ 6,852 bilhões no primeiro trimestre deste ano, ante resultado negativo de US$ 7,544 bilhões no mesmo período de 2019. As rendas apresentaram rombo de US$ 12,027 bilhões de janeiro a março deste ano, ante déficit de US$ 15,056 bilhões no primeiro trimestre de 2019. Em todo ano passado, o déficit das contas externas do Brasil subiu 22%, para US$ 50,762 bilhões. (Fonte: Estadão)
  • Em meio à pandemia da covid-19, a arrecadação das receitas federais no Brasil registrou queda de 3,32% em março, totalizando R$ 109,718 bilhões.  A comparação é com o mesmo mês de 2019, descontada a inflação. Esse é o menor valor para o mês desde março de 2010, quando foram recolhidos R$ 105,717 bilhões. As informações foram divulgadas hoje (22) pela Receita Federal, em Brasília. As receitas administradas pela Receita Federal, como impostos e contribuições federais, chegaram a R$ 107,390 bilhões, resultando em queda real (descontada a inflação) de 3,67%. Já as receitas administradas por outros órgãos, principalmente royalties do petróleo, somaram R$ 2,327 bilhões, com expansão de 15,98%, em relação a março de 2019. De janeiro a março, a arrecadação total chegou a R$ 401,138 bilhões, com aumento real de 0,21%, em comparação com o mesmo período do ano passado. Esse crescimento da arrecadação no primeiro trimestre veio das receitas administradas por outros órgãos, que ficaram em R$ 17,659 bilhões, com expansão de 19,71%. Já as receitas administradas pela Receita atingiram R$ 383,479 bilhões, com queda real de 0,53%. (Fonte: Agência Brasil)
  • Pelo menos 264 deputados federais – 51% da Câmara – apoiam que os R$ 2 bilhões do fundo eleitoral, reservados para custeio das eleições municipais, sejam mandados para ações de combate ao novo coronavírus. A medida, que exige maioria simples, está contemplada em 11 projetos de lei apresentados desde março. (Fonte: Estadão)
  • A Justiça Federal do Distrito Federal determinou ontem que os bancos suspendam o débito em folha dos empréstimos consignados tomados por aposentados, do INSS ou servidores públicos, por quatro meses. A decisão já está em vigor e vale para todo o Brasil. (Fonte: Estadão)

Empresas:

  • A dificuldade para recompor o caixa nos próximos meses, como reflexo da forte retração econômica provocada pelo coronavírus, deve levar um maior número de empresas a pedir proteção da Justiça para não falir. A previsão de especialistas é que o volume de pedidos de recuperação judicial possa atingir patamar recorde. Levantamento da consultoria Alvares & Marsal, com base no histórico de pedidos dos últimos anos, fala em mais de 2,5 mil empresas nessa situação. Se confirmado, o resultado será quase 40% superior ao recorde verificado em 2016, quando 1,8 mil companhias recorreram à Justiça. Naquele ano, a economia havia recuado 3,6%, após um tombo de 3,5% no ano anterior. Segundo Coelho, quanto maior o impacto no PIB, maior a quantidade de setores afetados e a chance de se alastrar pelas cadeias produtivas. Mesmo que a queda da economia neste ano seja inferior a 5%, a escalada das recuperações judiciais será mais intensa que o pico de 2016. Isso porque o cenário já parte de uma base bastante deteriorada pela recessão econômica e baixo crescimento dos últimos cinco anos. Segundo o levantamento, uma queda de 1,5% do PIB levaria 2,1 mil empresas à recuperação judicial entre o terceiro trimestre deste ano e o terceiro trimestre de 2021; se cair 3%, 2,2 mil entrariam com pedido. (Fonte: IstoÉ)
  • A Boeing anunciou na manhã deste sábado (25) a rescisão de contrato com a Embraer. Pelo acordo, as empresas pretendiam fazer uma fusão na área de aviação comercial da companhia brasileira e criar um segunda joint venture em busca de desenvolver mercado para aeronave C-390 Millenium, avião de porte médio usado em ações militares. De acordo com o comunicado oficial dos americanos, as duas partes poderiam cancelar o contrato até o dia 24 de abril. Como a Embraer não atendeu às condições necessárias para a união, a Boeing exerceu seu direito. As empresas haviam anunciado o acordo de US$ 4,2 bilhões em julho de 2018 e a fusão tinha recebido aprovação incondicional de todas as autoridades reguladoras necessárias, exceto da Comissão Europeia. A Boeing também informou que o contrato de comercialização e manutenção conjunta da aeronave militar C-390 Millennium está mantido. O acordo foi feito em 2012 e renovado em 2016. (Fonte: R7)

Emprego:

  • O presidente Jair Bolsonaro informou em rede social que vai revogar a medida provisória que criou o Contrato Verde Amarelo, voltado a estimular o emprego de jovens. Ele vai editar um novo texto para substituir a MP, com regras específicas para o período de pandemia do coronavírus. (Fonte: Estadão)

No cenário externo:

  • Argentina decidiu se afastar do Mercosulnas futuras negociações de livre comércio do grupo, diante da incerteza sobre os efeitos na economia da pandemia do novo coronavírus, anunciou a chancelaria em Buenos Aires. “A Argentina se previne dos efeitos da pandemia enquanto protege as empresas, o emprego e a situação das famílias mais humildes. Faz isto de forma diferente de alguns sócios, que defendem uma aceleração das tratativas visando acordos de livre comércio com Coreia do Sul, Singapura, Líbano, Canadá e Índia, entre outros.” Após a divulgação da decisão, o governo paraguaio, que ocupa a presidência pró-tempore do bloco, destacou em um comunicado que junto com os demais Estados-membros avaliará “as medidas jurídicas, institucionais e operacionais mais adequadas” para “não afetar o processo de construção comunitária do Mercosul e das negociações comerciais em curso”. O comunicado destaca que a Argentina continuará com o processo para colocar em marcha o acordo de livre comércio entre Mercosul e União Europeia, aprovado no ano passado pelos dois blocos e que aguarda a ratificação dos Parlamentos de cada um dos países. (Fonte: Exame)
  • O contrato futuro do petróleo WTI foi negociado abaixo de US$ 0 pela primeira vez na história, para o contrato referente a maio. De acordo com analistas, a liquidação em massa ocorre para evitar entrega física do barril da commodity, em um contexto em que não há espaço para armazenamento. Isso significa que fornecedores estão sendo pagos para ficar com o produto. Dessa forma, o petróleo está agora em “contango”, ou seja, os contratos de petróleo para entrega futura são mais caros do que os preços à vista. Os mercados internacionais têm operado em meio a um descompasso entre oferta e demanda de petróleo, já que os cortes de produção anunciados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+), cada vez mais, parecem insuficientes para compensar a queda na demanda, decorrência direta da retração da atividade global por conta do novo coronavírus. (Fonte: IstoÉ Dinheiro)
  • Nesta segunda-feira (20), a Argentina recebeu a rejeição de alguns grupos de credores privados à sua proposta de reestruturação da dívida em dólares sob a legislação estrangeira, com grandes cortes de capital e juros, com a qual o país tenta evitar a moratória. Pelo menos dois grupos internacionais, o Comitê de Credores Argentinos (ACC, na sigla em inglês) e o Grupo de Detentores de Bônus, se recusaram a aceitar a oferta argentina. A oferta apresentada na sexta-feira passada aos detentores de títulos por US$ 66,238 bilhões em dívidas emitidas sob leis estrangeiras, contempla uma redução de 62% nos juros e 5,4% no principal, para começar a pagar em 2023. O corte implicaria em uma redução de US$ 37,9 bilhões em juros e US$ 3,6 bilhões no principal. (Fonte: Exame)
  • Pela primeira vez desde 1992, a economia da China se contraiu nos primeiros três meses do ano. O PIB do país asiático recuou 6,8% no 1.º trimestre de 2020, quando comparado ao mesmo período de 2019, informou o Escritório Nacional de Estatísticas (NBS) no dia 17. Contraposto ao resultado do 4.º trimestre de 2019, quando a economia chinesa expandiu 6%, o severo impacto da pandemia de covid-19 fica ainda mais evidente. A razão da queda do PIB chinês após 28 anos de crescimento ininterrupto não haveria de ser outra. A disseminação do novo coronavírus fechou fábricas, comércios, escolas, estradas e aeroportos. Um círculo vicioso, afetando a oferta e a demanda de bens e serviços, fechou-se juntamente com milhões de pessoas que se viram obrigadas a ficar confinadas em suas casas da noite para o dia. (Fonte: Estadão)
  • Poucos países foram poupados das consequências econômicas devastadoras do surto de coronavírus. Mas nenhuma economia terá um impacto maior no crescimento global do que os Estados Unidos. O país com mais casos confirmados de Covid-19 deverá responder por 31% da retração deste ano no PIB global, segundo cálculos da Bloomberg com dados do Fundo Monetário Internacional. O número é mais do que o dobro da participação do país na produção global. O FMI prevê que a economia global irá encolher 3% neste ano, a maior queda em quase um século, e se expandir quase 6% em 2021. A Alemanha e o Japão responderão pela segunda e terceira maiores proporções da queda, com mais de 7% cada. Na América Latina, Brasil e México terão um peso de 4,5% e 4,3% na retração global, respectivamente. No ano de 2020, o FMI prevê que o PIB vai encolher 5,9% nos EUA, 9,1% na Itália, 7% na Alemanha e 5,2% no Japão. Esses resultados sombrios serão compensados pelo crescimento na China e na Índia, duas das maiores economias. Para 2021, o Fundo espera forte recuperação, com expansão de 5,8% da economia global, a mais forte já registrada pelo FMI desde 1980. A China deve liderar o ritmo, contribuindo com uma participação de 29,2%, e os EUA em segundo lugar, com 12,8%. Índia, Indonésia e Alemanha completam a lista dos cinco primeiros. O FMI estima que a China crescerá 9,2% no próximo ano, contra 1,2% em 2020. A economia dos EUA teria expansão de 4,7%, a mais forte desde 1999. Alguns economistas alertam que as perspectivas do Fundo são muito otimistas. (Fonte: InfoMoney)
  • O número de norte-americanos que solicitaram auxílio-desemprego na última semana ficou em 4,43 milhões, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (23) pelo Departamento do Trabalho dos Estados Unidos. O número ficou abaixo do registrado nas 3 semanas anteriores. Nas últimas cinco semanas, no entanto, o número de novos pedidos chegou a 26,5 milhões – uma média de 5,3 milhões de pedidos por semana, confirmando que todos os postos de trabalho criados durante o mais longo boom do emprego na história dos Estados Unidos foram eliminados em cerca de um mês, à medida que o novo coronavírus abala a economia. (Fonte: G1)
  • Os venezuelanos disseram ter pagado mais de US$ 2 por litro de gasolina (R$ 11,19) na semana passada em meio à escassez de combustível, uma das taxas mais altas do mundo e uma reversão dramática para um país da Opep que se vangloriava de ter o combustível mais barato do planeta. (Fonte: Estadão)
  • Em ano eleitoral e diante do aprofundamento da recessão em meio à pandemia provocada pelo coronavírus, Donald Trump anunciou restrição à imigração nos EUA. A emissão do visto de residência – o “green card” – será suspensa por 60 dias, e novas medidas ainda podem ser anunciadas. (Fonte: Estadão)
  • O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, e seu rival Benny Gantz fecharam ontem um acordo para formar um governo de emergência em meio à pandemia do coronavírus. A decisão põe fim a um ano de paralisia política, marcada pela ausência de maioria no Parlamento após três eleições e consolida Netanyahu no poder, mais uma vez, mesmo após o premiê ter sido indiciado por corrupção. O novo governo terá duração de três anos, sendo a primeira metade liderada por Netanyahu, do partido de direita Likud, e a outra, por Gantz, da coalizão Azul e Branco. Ele serviria como vice premiê nesta primeira fase do acordo. Como aliados, Gantz e Bibi evitam uma quarta eleição, baixam o tom da retórica política dos últimos meses e oferecem uma chance de unir o país em meio à pandemia. (Fonte: Estadão)

Dólar e aversão ao risco

(índice de volatilidade dos preços das opções do S&P 500)

O VIX trabalhou na última semana na média de 40. A volatilidade ainda continua muito alta, mas com valores abaixo do pico de 16/03 onde trabalhou na faixa de 82,6

Perspectivas

A previsão do dólar para 2020

As expectativas dos 101 economistas consultados pelo Banco Central são:

  • Valor mínimo esperado: R$ 4,90
  • Valor médio esperado: R$ 5,23
  • Valor máximo esperado: R$ 5,83

Previsão para PIB

As expectativas dos 85 economistas consultados pelo Banco Central são:

Previsão para IPCA

As expectativas dos 119 economistas consultados pelo Banco Central são:

Dólar americano hoje:

As 13:30hs, o dólar comercial operava em alta de 0,49%, cotado a 5,6889

O Dólar Turismo neste mesmo horário é oferecido pela Meu Câmbio a R$ 5,881 + IOF.

Dólar
PeríodoVariação
27/abr/200,49%
1 semana8,63%
1 mês13,85%
No ano41,80%

Euro hoje:

As 13:30hs o euro operava em alta de 0,52%, cotado a R$ 6,158.

O Euro Turismo neste mesmo horário é oferecido pela Meu Câmbio a R$ 6,379 + IOF.

Euro
VariaçãoVariação
27/abr/200,52%
1 semana8,24%
1 mês11,54%
No ano37,03%

Próximos eventos internacionais relevantes

DataHorárioMoedaEventoPrevisão AtualÚltima Previsão
WedApr 293:00amEURGerman Import Prices m/m-2.3%-0.9%
 All DayEURGerman Prelim CPI m/m0.0%0.1%
 5:00amEURM3 Money Supply y/y5.5%5.5%
  EURPrivate Loans y/y3.8%3.8%
 TentativeEURItalian 10-y Bond Auction 1.44|1.5
 TentativeEURGerman 10-y Bond Auction -0.34|1.8
 9:30amUSDAdvance GDP q/q-3.9%2.1%
  USDAdvance GDP Price Index q/q1.0%1.3%
 11:00amUSDPending Home Sales m/m-11.0%2.4%
 11:30amUSDCrude Oil Inventories 15.0M
 3:00pmUSDFOMC Statement  
  USDFederal Funds Rate<0.25%<0.25%
 3:30pmUSDFOMC Press Conference  
 10:00pmCNYManufacturing PMI51.052.0
  CNYNon-Manufacturing PMI52.852.3
ThuApr 302:30amEURFrench Flash GDP q/q-4.0%-0.1%
 3:00amEURGerman Retail Sales m/m-8.4%1.2%
 3:45amEURFrench Consumer Spending m/m-5.5%-0.1%
  EURFrench Prelim CPI m/m-0.2%0.0%
 4:00amEURSpanish Flash GDP q/q-4.2%0.4%
  EURSpanish Flash CPI y/y 0.0%
 4:55amEURGerman Unemployment Change75K1K
 5:00amEURItalian Monthly Unemployment Rate10.5%9.7%
 6:00amEURPrelim Flash GDP q/q-3.7%0.1%
  EURCPI Flash Estimate y/y0.1%0.7%
  EURCore CPI Flash Estimate y/y0.7%1.0%
  EURItalian Prelim CPI m/m-0.2%0.1%
  EURUnemployment Rate7.7%7.3%
 7:00amEURItalian Prelim GDP q/q-5.0%-0.3%
 8:45amEURMain Refinancing Rate0.00%0.00%
  EURMonetary Policy Statement  
 9:30amEURECB Press Conference  
  USDUnemployment Claims3500K4427K
  USDPersonal Spending m/m-4.2%0.2%
  USDCore PCE Price Index m/m-0.1%0.2%
  USDEmployment Cost Index q/q0.7%0.7%
  USDPersonal Income m/m-1.8%0.6%
 10:45amUSDChicago PMI38.047.8
 11:30amUSDNatural Gas Storage 43B
FriMay 110:45amUSDFinal Manufacturing PMI36.936.9
 11:00amUSDISM Manufacturing PMI36.749.1
  USDConstruction Spending m/m-3.5%-1.3%
  USDISM Manufacturing Prices30.737.4
 All DayUSDWards Total Vehicle Sales7.0M11.4M

RELACIONADOS


02/06/2020 – Panorama de mercado semanal

Acompanhe semanalmente a evolução da cotação do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação que precisa para escol […] LEIA MAIS


19/05/2020 – Panorama de mercado semanal

Acompanhe semanalmente a evolução da cotação do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação que precisa para escol […] LEIA MAIS

Recentes


02/06/2020 – Panorama de mercado semanal

Acompanhe semanalmente a evolução da cotação do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação que precisa para escol […] LEIA MAIS


19/05/2020 – Panorama de mercado semanal

Acompanhe semanalmente a evolução da cotação do dólar, euro e saiba tudo que pode influenciar o preço das moedas. Com a Meu Câmbio você tem acesso a toda a informação que precisa para escol […] LEIA MAIS